A Soflusa está a suprimir até sexta-feira, durante a noite, diversos barcos que asseguram a ligação fluvial entre o Barreiro e Lisboa, devido a “constrangimentos laborais”. Já durante a tarde desta terça-feira, a Soflusa anunciou que não consegue prever quando vai repor as ligações fluviais.

As ligações começaram a ser suprimidas desde sexta-feira devido à greve às horas extraordinárias dos mestres, por faltarem 24 destes profissionais.

Em resposta por escrito a questões colocadas pela agência Lusa, a empresa esclareceu que “dada a escassez de tripulantes habilitados a exercer a função de mestre, ainda que existam esforços da empresa e um diálogo permanente com a comissão de trabalhadores e sindicatos, não pode prever a reposição da normalidade operacional”.

As supressões de horários, no período noturno, “resultam do agravamento das limitações de recursos humanos na empresa”. Em falta, detalhou a Soflusa, estão 24 mestres para “assegurar a totalidade dos horários comerciais”.

Além disso, os mestres estão em greve às horas extraordinárias, depois do pré-aviso de greve do Sindicato dos Transportes Fluviais Costeiros e da Marinha Mercante, a qual se prolonga até 31 de dezembro deste ano.

A empresa adiantou ainda que abriu concurso para as vagas de mestres e “aguarda, a todo o momento, autorização para a contratação” de mais trabalhadores.

Para já, de acordo com a sua página na internet, entre o Barreiro e Lisboa, vão ser cortados os horários das 00h30, 1h30 e 5h20, na quarta e sexta-feira, e das 00h05, 5h20 e 23h30, na quinta-feira.

De Lisboa para o Barreiro, os passageiros vão ficar sem os horários das 00h00, 1h30 e 5h50, na quarta e sexta-feira, e das 00h30 e 5h50 na quinta-feira. Para quarta e sexta-feira, a empresa prevê ainda cortar as carreiras extraordinárias nos horários das 00h55 e 1h45, entre Barreiro e Lisboa, e das 1h20 e 2h10, entre Lisboa e Barreiro.

Entre sexta-feira e esta terça-feira já foram suprimidos 24 barcos, durante a noite, nos dois sentidos.

A Soflusa informa ainda que, “por motivos de segurança, o navio inicia viagem logo que é alcançada a lotação máxima de passageiros embarcados, independentemente do horário previsto”, podendo haver atrasos e haver carreiras que sejam realizadas fora dos horários em vigor.

A Transtejo assegura as ligações fluviais entre o Seixal, Montijo, Cacilhas e Trafaria/Porto Brandão e Lisboa, enquanto a Soflusa é responsável por fazer a ligação entre o Barreiro e Lisboa.