FC Porto

Duas expulsões, um golo anulado e muita confusão: os casos da vitória do FC Porto frente ao Sporting

137

FC Porto venceu o Sporting por 2-1 num jogo morno, sem grandes oportunidades e que contou com dois cartões vermelhos. E muita confusão. Veja aqui os lances e casos do clássico.

AFP/Getty Images

Se a primeira parte do FC Porto e Sporting foi morna e sem grandes oportunidades, a segunda parte do clássico no Estádio do Dragão foi totalmente diferente. Luiz Phellype começou por colocar os leões em vantagem, aos 61 minutos. Mas os dragões não baixaram os braços e Danilo Pereira fez golo do empate, num jogo em que os portistas tinham de vencer e esperar pelo resultado do Benfica – Santa Clara, que decorreu em simultâneo no Estádio da Luz e onde os encarnados ganharam por 4-1, tornando-se campeões nacionais. Logo a seguir, Herrera fez o 2-1.

Quase no final do jogo, instalou-se a confusão entre os jogadores das duas equipas, com Corona a ver mesmo o cartão vermelho, falhando assim a final da Taça de Portugal. Até a PSP entrou em campo.

Aos 13 minutos Felipe desarma Bruno Fernandes e Fábio Veríssimo assinala falta.

Já aos 17 minutos, C.Borja foi expulso com vermelho direto, depois de agarrar Jesus Corona, que seguia em direção à baliza. Fábio Veríssimo começou por dar amarelo, mas depois de consultar o vídeo-árbitro reverteu a decisão e mostrou cartão vermelho direto para o lateral do Sporting.

Aos 27 minutos, novo caso. André Pinto entra de carrinho sobre Tiquinho Soares. Fábio Veríssimo consulta o VAR e mantém a decisão de não marcar falta ao jogador.

Depois de algumas oportunidades, a mais importante chegou aos 35 minutos, quando Marega ainda conseguiu introduzir a bola na baliza, mas Fábio Veríssimo assinalou posição irregular ao jogador maliano do FC Porto.

Ainda antes, um lance entre Mathieu e Marega ainda foi analisado, mas Fábio Veríssimo, depois de ouvir as indicações do árbitro assistente, manda seguir o jogo.

Na segunda parte, logo aos 48 minutos, Marega vê o cartão amarelo por um lance com Renan. Na sequência deste lance, Bruno Fernandes também viu o cartão amarelo.

Aos 61 minutos, eis o primeiro golo do jogo. Acuña interceta Jesus Corona, Diaby recebe a bola, passa novamente para Acuña e Luiz Phellype surge na direita, batendo Vaná e fazendo o 1-0 para o Sporting.

Mas o FC Porto não queria a derrota e, aos 78 minutos, Danilo Pereira fez o golo dos dragões. Tudo começou num canto de Jesus Corona. Soares tenta cabeçear, a bola sobra para Danilo, que encaixa a bola na baliza do Sporting. Fábio Veríssimo ainda ouviu o VAR, mas assinalou golo.

Aos 87 minutos, o segundo do FC Porto. Canto do lado direito do ataque, há um primeiro desvio no coração da grande área e Herrera, de forma acrobática, atira cruzado para o fundo das redes.

O final do jogo ficou marcado pela confusão que se instalou no relvado, com Corona a receber cartão vermelho num lance com Acuña.

A tarja dos Super Dragões que inclui árbitros, empresários e António Costa

No intervalo do clássico, além da entrada dos jogadores em campo, as atenções centraram-se na bancada dos Super Dragões, quando a claque portista exibiu uma faixa onde surge um onze do Benfica diferente: com árbitros, empresários e…António Costa. Na legenda pode ler-se “campeões nacionais 18/19”.

Na equipa apresentada estão nomes como Hugo Miguel, Fábio Veríssimo, João Pinheiro, Luís Godinho, Bruno Esteves, Bruno Paixão, César Boaventura e o primeiro-ministro António Costa.

Todos queremos saber mais. E escolher bem.

A vida é feita de escolhas. E as escolhas devem ser informadas.

Há uns meses o Observador fez uma escolha: uma parte dos artigos que publicamos deixariam de ser de acesso totalmente livre. Esses artigos Premium, por regra aqueles onde fazemos um maior investimento editorial e que mais diferenciam o nosso projecto, constituem a base do nosso programa de assinaturas.

Este programa Premium não tolheu o nosso crescimento – arrancámos mesmo 2019 com os melhores resultados de sempre.

Este programa tornou-nos mesmo mais exigentes com o jornalismo que fazemos – um jornalismo que informa e explica, um jornalismo que investiga e incomoda, um jornalismo independente e sem medo. E diferente.

Este programa está a permitir que tenhamos uma nova fonte de receitas e não dependamos apenas da publicidade – porque não há futuro para a imprensa livre se isso não acontecer.

O Observador existe para servir os seus leitores e permitir que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia. Por isso o Observador também é dos seus leitores e necessita deles, tem de contar com eles. Como subscritores do programa de assinaturas Observador Premium.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: cpeixoto@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)