No início da segunda parte entre FC Porto e Sporting, houve um momento que acabou por marcar o clássico, quando a claque Super Dragões fez descer uma enorme tarja pela bancada que captou as atenções. Na faixa, um conjunto de árbitros, VAR e empresários surgem com equipamento preto e branco do Benfica, onde surge a legenda “Campeões Nacionais 18/19”.

Na equipa apresentada estão nomes como Hugo Miguel, Fábio Veríssimo, João Pinheiro, Luís Godinho, Bruno Esteves, Bruno Paixão, César Boaventura e… o primeiro-ministro António Costa. Uma forma também de seguir a mesma linha de raciocínio de Jorge Nuno Pinto da Costa, presidente do FC Porto, que deixou duras críticas a algumas arbitragens no Campeonato, sobretudo nos jogos do Benfica em Santa Maria da Feira, Braga e Vila do Conde que considerou serem as “chaves” do título.

“Não se pode dizer que tivemos sete pontos de avanço ou quatro ou dez. Em termos de resultados, chegámos ao momento crucial, depois do FC Porto-Benfica, com dois pontos de atraso. Esta reta final defino-a da seguinte forma: o FC Porto teve um empate anormal em Vila do Conde porque dois penáltis claríssimos não foram marcados. Houve influência direta da arbitragem e do VAR nesse empate. Depois do clássico, o Campeonato decidiu-se em três sítios: Vila da Feira, Braga e Vila do Conde. São três jogos onde ainda gostava de saber quem, a partir daí, foi buscar os padres à sacristia? O Campeonato decidiu-se dentro e fora, porque também se decidiu no VAR. Justiça? Se o Benfica ganhar com dois ou três pontos de avanço e em três jogos foi beneficiado nove pontos, como pode haver justiça?”, destacou em entrevista ao jornal O Jogo.

A faixa que os Super Dragões apresentaram no intervalo do FC Porto – Sporting

Eis as figuras que surgem na faixa dos Super Dragões:

  • Tiago Martins (árbitro do Braga-Benfica)
  • Luís Godinho (VAR do Rio Ave-Benfica)
  • João Pinheiro (árbitro no Feirense-Benfica)
  • Manuel Oliveira (VAR no Braga-Benfica)
  • António Costa (Primeiro-Ministro
  • Ana Peres (Juíza do caso e-Toupeira)
  • Hugo Miguel (árbitro do Rio Ave-Benfica)
  • Bruno Esteves (VAR)
  • César Boaventura (empresário)
  • Fábio Veríssimo (árbitro)
  • Bruno Paixão (VAR do Feirense-Benfica)