Vítor Oliveira vai orientar o Gil Vicente, que vai disputar a I Liga de futebol em 2019/20, anunciou este domingo o treinador, após a conquista do título de campeão da II Liga com o Paços de Ferreira.

Tínhamos já garantido a subida, que foi o que nos tínhamos proposto, e agora vencer o campeonato acaba por ser um prémio para todos. Não vou ficar, vou ser treinador do Gil Vicente. Por todas as razões que podem imaginar, é o projeto mais difícil e aliciante que havia na I e II Ligas, mas resolvi aceitar esta aposta de bom grado”, disse Vítor Oliveira.

O técnico, que este domingo garantiu a sua 11.ª subida de divisão, a segunda pelo Paços de Ferreira, não se deixou convencer pelos argumentos do presidente dos ‘castores’, Paulo Meneses, que, também na salda de imprensa do Estádio Capital do Móvel, revelou que “já foi encontrada solução para o cargo de treinador.

Já encontrámos solução, só não sei qual delas. O técnico terá de ser alguém que tenha ambição, algum histórico em termos daquilo que são resultados e objetivos, conheça o futebol português, a casa, e caiba dentro da nossa perspetiva orçamental. Reuni com três treinadores e a decisão sairá por aí, sendo que um dos que falei, sem problema em o revelar, foi com o Filó [treinador do Sporting da Covilhã]”, revelou.

O Paços de Ferreira sagrou-se este domingo pela quarta vez campeão nacional da II Liga de futebol, ao receber e vencer o Cova da Piedade por 2-0, em jogo da 34.ª e última jornada da prova. O Gil Vicente, do Campeonato de Portugal, vai ser reintegrado na próxima época no principal escalão, em consequência do caso Mateus.

O clube de Barcelos foi despromovido à II Liga na época 2006/07, por alegada irregularidade na utilização de Mateus, avançado atualmente no Boavista, tendo a Liga Portuguesa de Futebol Profissional (LPFP) anunciado a reintegração na I Liga em 12 de dezembro de 2017, na sequência de uma decisão do Tribunal Administrativo do Círculo de Lisboa, em 2016.

Esta instância de recurso declarou nula a decisão de descida do Gil Vicente tomada pelo Conselho de Justiça da Federação Portuguesa de Futebol (FPF), em agosto de 2006. Na presente temporada, o Gil Vicente disputou a Série A do Campeonato de Portugal — terceiro escalão –, sem que os seus jogos contassem para a classificação, por determinação federativa.