Rádio Observador

Estados Unidos da América

São Francisco prepara-se para ser primeira cidade a proibir venda de cigarros eletrónicos

164

Decisão foi unânime no órgão legislativo da cidade, embora exista preocupação com impacto no pequeno comércio desta inibição da venda de cigarros eletrónicos.

AFP/Getty Images

A Câmara de Supervisores de São Francisco (nos Estados Unidos) aprovou uma portaria que proíbe o fabrico e venda de produtos de tabaco, cigarros eletrónicos incluídos, na cidade. A decisão tomada pelo órgão legislativo do governo da cidade norte-americana ainda será alvo de votação final na próxima semana e tem de ser aprovada pela agência federal que regula alimentos e medicamentos nos EUA (FDA). São Francisco pode, assim, tornar-se a primeira cidade a banir a venda de cigarros eletrónicos.

Os supervisores foram unânimes na votação da portaria cujo texto se refere aos cigarros eletrónicos como “uma epidemia“, sobretudo entre os mais jovens. “De acordo com o Centro de Controlo e Prevenção de Doenças, o número de estudantes dos ensinos básico e secundário que usam produtos de tabaco de forma frequente cresceu de 3,6 milhões de euros para 4,9 milhões entre 2017 e 2018“, lê-se na portaria que diz que este aumento foi “impulsionado pelo uso do tabaco eletrónico” e que tem “apagado o progresso feito na redução do tabaco entre os jovens”.

Assim, o governo da cidade de São Francisco aprovou a decisão que, diz, “reafirma a recusa em permitir que a cidade seja usada para atividades que contribuam para o peso do uso do tabaco”. Há um ano a cidade tinha já proibido a venda de tabaco aromatizado, incluindo cigarros de mentol e líquidos aromatizantes para cigarros eletrónicos.

A medida está a levantar preocupações junto dos comerciantes, segundo avançou a NBC Bay Area, e apesar da votação unânime, os próprios supervisores expressaram preocupações sobre o impacto da decisão no pequeno comércio. Assim, a Câmara decidiu criar um grupo de trabalho para auxiliar os comerciantes nos problemas que possam vir a ter.

O porta-voz da empresa californiana de cigarros eletrónicos JUUL garantiu que a empresa tomou medidas para prevenir o uso dos seus aparelhos pelos mais jovens (nomeadamente através da verificação da idade nas vendas online) e mantém que esta é uma alternativa mais saudável aos cigarros tradicionais. “A proibição dos produtos a vapor para adultos em São Francisco não se dirige ao consumo por menores e vai deixar os cigarros tradicionais nas prateleiras como única escolha para os fumadores adultos, mesmo que matem 40 mil californianos todos os anos”, disse Ted Kwong da JUUL.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: rtavares@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)