Madonna lançou, esta quarta-feira, mais um videoclipe do mais recente álbum, Madame X. Em “God Control”, a cantora aborda diretamente a legislação associada ao porte de arma nos Estados Unidos da América, com a ação a decorrer na cidade de Nova Iorque. “Isto é uma chamada de atenção. A cultura das armas afeta desproporcionalmente crianças, adolescentes e elementos marginalizados nas nossas comunidades. Homenageia as vítimas e exige o controlo das armas. Agora. Voluntaria-te, levanta-te, apoia, alcança. Acorda e insiste numa legislação segura com bom senso. Vidas de inocentes dependem disso”, escreveu Madonna em jeito de legenda do vídeo, no YouTube.

Ao mesmo tempo, a cantora listou 11 organizações que intercedem por um maior controlo da utilização de armas de fogo nos Estados Unidos, apelando à contribuição de todos. No vídeo, realizado pelo sueco Jonas Åkerlund, Madonna surge a dançar numa discoteca, num ambiente que evoca o velho Studio 54, incluindo o guarda-roupa dos anos 1970.

Da cena em que um atirador dispara sobre todas as pessoas presentes no clube ao momento em que a própria cantora é assaltada no meio da rua, também com recurso a uma arma de fogo, as imagens são cruéis e, ao mesmo tempo, glamourosas. Outra das cenas é filmada numa igreja, onde se veem caixões fechados e um coro de crianças a cantar. “Todos os anos, mais de 36.000 americanos são mortos em ataques armados e cerca de 100.000 são atingidos e feridos. Ninguém está a salvo”, lê-se no final.

O mesmo vídeo exibe uma obra da artista portuguesa Wasted Rita. Numa das cenas, um poster da artista surge na parede do quarto de Madonna. “Os homens brancos e heterossexuais dominam tudo à minha volta”, lê-se no poster. “Feliz por estar no quarto de Madonna, no seu novo vídeo que vai angariar dinheiro para várias organizações pelo controlo das armas nos Estados Unidos”, escreve Rita Gomes, nome original de Wasted Rita, na sua conta de Instagram. A relação entre a artista e a cantora já vem de trás. Em 2017, depois de se mudar para Lisboa, Madonna visitou a exposição de Wasted Rita na galeria Underdogs. Mais tarde, já em 2018, voltou a partilhar imagens de trabalhos da artista portuguesa nas redes socais, bem como uma tatuagem desenhada pela mesma.