Está feliz por estar contente?
Estou muito feliz por estar aqui, é uma oportunidade que tenho de agarrar. É isso.
Prefere cuecas lilás ou cor de rosa?
O quê? Não percebi…
Se prefere boxers lilás ou cor de rosa?
Tchi
Ou de outra cor? Qual é a preferência?
Brancas…
Já apresentou a namorada ao capitão?
Não, não tenho namorada…
Onde é que arranjou esse penteado?
Oh… Inventei…
Se fosse mulher, com que jogador do plantel namorava?
Naaaa… Não sei…
Vá lá, escolha lá um…
Não sei qual é o mais bonito aqui…
O Rafael Camacho?
Naaaa… Fogo!
E aqui entre jornalistas e repórteres de imagem quem é o mais giro? Ou gira?
Elas… [apontando para as únicas mulheres presentes]
Quem?
Ela e ela… São as duas muito bonitas.
Faz a depilação?
Não, não faço…
Nem nas pernas?
Não… Nada…

Pré-temporada é altura de ganhar rotinas, preparar táticas e crescer no plano físico mas também há sempre espaço para as já habituais praxes da ordem para quem é contratado ou sobe ao conjunto principal. Neste caso, após os “espetáculos” de karaoke dos mais novos em cima de cadeiras, Joelson Fernandes, o mais novo no estágio que o Sporting está a realizar na Suíça, acabou por ser “apanhado” pelos próprios jornalistas, num diálogo reproduzido pelo jornal A Bola e que motivou muitas gargalhadas entre todos os presentes. Boa disposição não faltava antes do segundo teste dos leões. Nem boa disposição nem competição.

Depois da derrota com o Rapperswill-Jona, equipa que no ano passado desceu ao terceiro escalão helvético, o encontro com o St. Gallen trazia uma outra exigência para os comandados de Marcel Keizer, ainda privado de nomes como Coates, Borja, Acuña, Bruno Gaspar (neste caso por terem acabado a época mais tarde por causa das respetivas seleções), Battaglia, Rosier ou Ristovski, entre outros (estes últimos por lesão). Esta é ainda assumidamente uma fase de testes, antes de três encontros particulares com maior nível de dificuldades contra Club Brugge (Bélgica), Liverpool (Estados Unidos) ou Valencia (Alvalade). Também por isso, Marcel Keizer promoveu algumas alterações mantendo o 4x3x3 com que prepara a equipa para 2019/20. E com Eduardo, médio brasileiro contratado este verão ao Belenenses, de novo na posição ‘6’ do meio-campo.

Em comparação com a última partida, na passada quarta-feira, o holandês trocou os laterais (saíram Thierry Correia e Nuno Mendes, entraram Tiago Ilori e Abdu Conté), um ala (Vietto por Rafael Camacho) e o avançado (Bas Dost por Luiz Phellype) mas a troca de maior relevo acabou por ser a saída de Doumbia para a entrada de Eduardo. Percebe-se porquê: entre as alterações no plantel pelo menos até ao momento, é na substituição de Gudelj que se centram as atenções, numa posição nevrálgica dentro do modelo que Keizer implementou desde que chegou a Alvalade, a meio da temporada passada. E muito jogo passou por ali.

Logo aos dois minutos, o filme do costume tantas vezes visto na última época: Bruno Fernandes a começar a jogada, a abrir na direita num passe longo para Raphinha, trabalho 1×1 do brasileiro a fazer a diagonal para o centro, remate forte travado pelo guarda-redes contrário Jonathan Klinsmann – que é filho do antigo avançado alemão Jürgen Klinsmann, tem de 22 anos, nasceu em Munique mas é internacional Sub-23 pelos Estados Unidos – e recarga vitoriosa do capitão leonino para o 1-0. Só dava Sporting, que não aumentou a vantagem ainda dentro do primeiro quarto de hora porque Klinsmann conseguiu travar para canto remates perigosos de Luiz Phellype (na área) e Bruno Fernandes (meia distância).

Ainda assim, era no antigo médio do Belenenses que se iam colocando atenções. Por um lado, Eduardo tentava funcionar como pivô na primeira fase de construção, recuando algumas vezes até perto dos centrais para ter bola e tricotar o início das ações ofensivas para ligar setores; por outro, foi marcando zonas de pressão mais ou menos subidas consoante as necessidades da equipa e a saída de bola do adversário. Com isso, conseguiu fazer a diferença em algumas ações atacantes, como aconteceu quando isolou Luiz Phellype (13′), e soltou Wendel, que aproveitou esse espaço para marcar o golo da noite aos 25′. No entanto, este filme intermitente também teve um lado lunar quando o médio, num corte despropositado na grande área quando estava sem oposição, colocou a bola nos pés de Kutesa para o avançado fazer o 2-1 já perto do intervalo (42′).

No segundo tempo, com Doumbia, Vietto e Bas Dost lançados na equipa, o Sporting entrou pior, acabou mesmo por consentir o empate num grande golo de Hefti, a entrar na área e a marcar com uma trivela sem hipóteses para Renan (52′), e esteve perto de sofrer mesmo a reviravolta, num lance onde Ilori voltou a ser ultrapassado pela direita. As substituições em nada ajudaram na fluência de jogo mas o filme passou de verde e branco a preto e branco, com os leões a não conseguirem sequer criar grandes oportunidades ao contrário do que tinha acontecido na primeira parte… com Bruno Fernandes em campo. O estágio do Sporting na Suíça, que terminou esta noite, teve muitos treinos, alguns momentos de animação e dois encontros frente a adversários na teoria mais acessíveis em que a equipa entrou sempre melhor, saiu a ganhar ao intervalo mas não conseguiu segurar a vitória.