Rádio Observador

Incêndios

Dominados incêndios em Alijó e Sobral do Campo

1.281

Incêndios tinham começado na quarta-feira e foram dominados na madrugada desta quinta-feira. A A4 chegou a estar fechada cerca de seis horas.

JOÃO PORFÍRIO/OBSERVADOR

Os incêndios que começaram na quarta-feira no concelho de Alijó, Vila Real, e em Sobral do Campo, concelho de Castelo Branco, foram dados como dominados na madrugada desta quinta-feira.

Sobre o incêndio de Alijó, fonte do Comando Distrital de Operações de Socorro CDOS de Vila Real disse à Lusa que “todo o perímetro do incêndio foi dado como dominado às 03:05”, indicando que alguns operacionais já começaram a desmobilizar, enquanto outros vão permanecer em operações de rescaldo.

Ao início da madrugada, o comandante distrital de operações de socorro (CODIS) de Vila Real, Álvaro Ribeiro, já tinha dado o incêndio como dominado do lado de Alijó, mas uma frente que lavrava do lado da vila de Murça ainda preocupava as autoridades.

A A4 esteve fechada cerca de seis horas devido ao incêndio e reabriu pelas 23:30, estando, segundo a GNR, todas as principais estradas desta região circuláveis. Também o Itinerário Complementar 5, entre Pópulo e o nó de Alijó, e a Estrada Nacional 212 estiveram encerradas devido ao fogo que chegou a ter três frentes ativas.

Segundo a Lusa, há registo de dois feridos: um civil de 48 anos que ficou com 10% do corpo queimado e um militar da GNR que partiu o braço esquerdo. De acordo com o CDOS de Vila Real, um dos bombeiros que estava a combater as chamas também “se sentiu mal e foi retirado do teatro de operações”.

O incêndio esteve às portas da vila de Murça. O presidente da Câmara de Alijó, José Paredes, afirmou à agência Lusa que o incêndio queimou uma “área bastante extensa” de pinhal no concelho. “Esta era a melhor área de pinhal do concelho de Alijó e está completamente devastada”, afirmou na quarta-feira o autarca. José Paredes lamentou que, precisamente dois anos depois, o concelho esteja outra vez a ser atingido por um grande incêndio.

O alerta para o fogo foi dado pelas 15:00 de quarta-feira, na zona da aldeia de Ribalonga, concelho de Alijó, no distrito de Vila Real. Pelas 00h30, estava ativa apenas uma frente (as duas frentes no concelho de Alijó estavam já em fase de rescaldo) e o incêndio estava a ameaçar a aldeia de Ribalonga. O fogo passou a autoestrada e chegou à vila de Murça, pelo que a circulação na A4 não será tão depressa retomada. O Itinerário Complementar 5, que tinha fechado durante a tarde, reabriu entretanto.

Em declarações à Rádio Observador, o presidente da Câmara Municipal de Alijó disse durante a tarde que o fogo estava “terrível”, mas adiantou que as chamas não deveriam atingir casas. “Para já não foi preciso evacuar pessoas. Os meios estão posicionados e julgo que não haverá necessidade de evacuação”, relatou, na altura, José Rodrigues Paredes.

Fonte do CDOS de Vila Real já tinha referido que não havia casas em risco de serem atingidas pelas chamas. José Rodrigues Paredes disse ainda que o fogo terá começado devido a trabalhos com uma alfaia agrícola.

Também o incêndio que deflagrou na quarta-feira à tarde perto de Sobral do Campo, concelho de Castelo Branco, foi dado como dominado às 01:58 desta quinta-feira, disse à Lusa fonte do CDOS. “O fogo foi dado como dominado à 01:58. No entanto, os operacionais permanecem no terreno para consolidação do perímetro do incêndio”, explicou fonte do CDOS de Castelo Branco.

Segundo a página na internet da Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil (ANEPC), às 6h:50 permaneciam no local 221 operacionais, apoiados por 66 meios terrestres. O incêndio deflagrou na quarta-feira às 15:07, próximo da localidade de Sobral do Campo, em Castelo Banco, num povoamento florestal.

“Nas próximas horas, esperamos resolver esta situação”, afirmou, na altura, o comandante operacional Francisco Peraboa. Por volta das 20h desta quarta-feira, o comandante dizia que ainda havia “uma frente [de incêndio] bastante ativa”. O incêndio chegou a passar para a freguesia de São Vicente da Beira, mas esteve salvaguardada. As chamas não estão a ameaçar habitações, segundo a SIC Notícias, e a Estrada Nacional 352 foi cortada.

Dois incêndios deflagraram no sábado: um no município de Vila de Rei, outro na Sertã. Os incêndios tinham sido dados como dominados na manhã de terça-feira, pela Proteção Civil.

Com os incêndios do fim de semana, a área ardida desde o início do ano mais do que duplicou em Portugal.

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)