Rádio Observador

Startups

Startup portuguesa Automaise recebe meio milhão de euros de investimento

A Automaise, fundada em Braga, recebeu 500 mil euros da Bright Pixel e da Armilar Venture Partners para inovar os seus assistentes digitais de inteligência artificial e contratar mais pessoas.

A Bright Pixel é um dos investidores desta ronda de investimento

Bright Pixel

A startup bracarense Automaise levantou 500 mil euros de investimento numa primeira ronda liderada pela Bright Pixel em parceria com a Armilar Venture Partners. Este dinheiro vai ser aplicado no desenvolvimento da plataforma de inteligência artificial e na internacionalização, diz a empresa em comunicado.

Com este investimento a Automaise quer expandir a equipa e recrutar “especialistas em inteligência artificial, desenvolvimento de software e marketing, para se juntarem à sua equipa atual de dez pessoas”.

A Automaise foi fundada em 2017 e está incubada na Startup Braga. A empresa criou uma plataforma que permite a criação rápida de assistentes digitais com recurso a inteligência artificial para automatizar tarefas a outras empresas nas áreas da banca, seguros, retalho, telecomunicações, transporte e logística. Os assistentes digitais da startup prometem facilitar o trabalho de “gestão de contas bancárias através da automatização de várias tarefas rotineiras, simulação de pacotes integrados de serviços para seguradoras e telecomunicações, seguimento e alterações de encomendas, sistemas de ticketing, redes sociais”, entre outros.

Relativamente a este investimento, Ernesto Pedrosa, presidente executivo e cofundador da Automaise, afirmou: “A plataforma da Automaise é desenvolvida em Braga para o mundo e a Bright Pixel e a Armilar Venture Partners vêm, deste modo, apoiar a nossa estratégia de internacionalização ao nível da mentoria e da alavancagem junto da sua rede, que estamos convictos que permitirá projetar a nossa solução além-fronteiras”. Além disso, o responsável da empresa afirma que espera que, até 2025, a empresa cresça “30% ao ano”.

Já Alexandre Teixeira Santos, cofundador e responsável pela área de investimentos da Bright Pixel, refere: “a Automaise enquadra-se no nosso mandato pois explora uma tecnologia emergente e cada vez mais relevante no mundo empresarial (inteligência artificial), que atravessa múltiplos setores de atividade e que nos parece fundamental para os processos de automatização e ganhos de eficiência nas empresas”.

A startup destacou-se pela sua equipa experiente, mas também pela sua visão ambiciosa e inspiradora que tem para este projeto. Vemos na Automaise uma ótima oportunidade de criar sinergias, pois vemos o muito valor que lhes podemos acrescentar, assim como eles a nós”, diz Alexandre Teixeira dos Santos, da Bright Pixel.

Pedro Ribeiro Santos, sócio da Armilar Venture Partners, acrescenta: “Reconhecemos na Automaise uma grande capacidade de aplicar tecnologias muito sofisticadas, no campo da Inteligência Artificial, processamento de linguagem e treino de redes neuronais, na resolução eficaz de um problema de negócio muito relevante para as empresas nos dias de hoje”.

A Bright Pixel é um projeto que nasceu em abril de 2016 com o objetivo de investir em projetos tecnológicos. Tem um fundo de oito milhões de euros para investir em startups. A Armilar Venture Partners um fundo de investimento independente que investe em empresas também nesta área em empresas novas empresas. Atualmente, a Armilar tem um total 260 milhões de euros em cinco fundos para investir  em startups na Europa e nos Estados Unidos da América.

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: mmachado@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)