“Booksmart: Inteligentes e Rebeldes”

“Viver Depressa”, de Amy Heckerling, “O Clube”, de John Hughes, “Heathers”, de Michael Lehmann, “Juventude Inconsciente”, de Richard Linklater, “Giras e Terríveis”, de Mark Waters, “Super Baldas”, de Greg Mottola. Estes são apenas alguns dos bons “high school movies” já feitos por Hollywood, a que se vem agora acrescentar “Booksmart : Inteligentes e Rebeldes”, estreia na realização da actriz Olivia Wilde. Amy (Kaitlyn Dever) e Molly (Beanie Feldstein) são melhores amigas e grandes marronas, que no último dia do liceu reparam que não se divertiram nada durante o curso. Por isso, vão tentar compensar o tempo perdido na última noite em que ainda são estudantes. A crítica americana entrou em delírio com “Booksmart: Inteligentes e Rebeldes”, mas é apenas mais um típico e destravado “filme de liceu”, atualizado para os tempos do feminismo, da “diversidade” e da correção política, com duas interpretações fulgurantes de Dever e Feldstein.

“Angry Birds 2 — O Filme”

O sucesso do primeiro filme, e os imperativos comerciais do jogo de vídeo que lhe deu origem, levaram inevitavelmente a esta parte 2 da animação “Angry Birds”. Agora, pássaros (que já não estão zangados) e porcos verdes têm que se aliar para enfrentar uma ameaça comum: a Ilha das Águias, governada pela ditatorial Zeta e onde faz sempre um frio de gelar. Por isso, Zeta quer ocupar as ilhas dos pássaros e dos porcos e transformá-las em paraísos tropicais para si e as restantes águias. Um comando improvisado, e liderado por Red e Leonard, vai tentar impedir o desastre. Multicolorido, agitado, estridente e denunciando sempre que tem na base um jogo de vídeo para miúdos (que também pode viciar os mais velhos), “Angry Birds 2 — O Filme” tem dois ou três momentos divertidos, embora não acrescente absolutamente nada à primeira animação, nem ao género animado em si.

“Era Uma Vez em… Hollywood”

Leonardo DiCaprio, Brad Pitt e Margot Robbie são os principais intérpretes do novo filme de Quentin Tarantino, passado na Hollywood de 1969, quando o cinema americano vivia uma década de ouro e o delírio contracultural e contestatário dos anos 60 estava a atingir o seu auge de forma sangrenta, com o massacre perpetrado por Charles Manson e os seus “familiares”. DiCaprio interpreta um ator de televisão que luta contra o tempo para fazer carreira no cinema, Brad Pitt é o seu “duplo” e grande amigo, e Margot Robbie personifica a malograda Sharon Tate. O elenco do filme inclui também nomes como Al Pacino, Bruce Dern, o falecido Luke Perry, Dakota Fanning Lena Dunham, Kurt Russell ou Damian Lewis. “Era Uma Vez em… Hollywood” foi escolhido pelo Observador como filme da semana, e pode ler a crítica aqui.