Rádio Observador

Vila Nova de Gaia

Câmara de Gaia lança concurso para construção do Pavilhão Multiusos

A Câmara de Gaia anunciou esta quarta-feira que irá lançar um concurso público internacional para a construção do Pavilhão Multiusos do município, um investimento de oito milhões de euros.

Ainda não há uma data prevista para a inauguração do Pavilhão Multiusos

A Câmara de Gaia anunciou esta quarta-feira que irá lançar um concurso público internacional para a construção do Pavilhão Multiusos do município, um investimento de oito milhões de euros.

Em comunicado, a autarquia confirmou que irá levar à próxima reunião do executivo, agendada para o dia 26 de agosto, a proposta que prevê a abertura do concurso público internacional para a construção do Pavilhão Multiusos, localizado junto à Estrada Nacional 222, entre a rua Arcos do Sardão e a avenida Vasco da Gama. O projeto representa um investimento que ronda os milhões de euros e o tempo de obra é de um ano e meio.

O equipamento, com uma área bruta de implantação superior a 3.500 m2, terá características que lhe irão permitir aliar a prática e a formação desportivas à realização de eventos. O projeto inclui áreas técnicas, estacionamento, zonas para a prática desportiva, balneários, camarins e um palco. No que se refere à prática desportiva, o pavilhão terá capacidade para acolher jogos de futebol de salão, andebol, basquetebol e voleibol. Terá, ainda, uma sala de imprensa, gabinete médico, gabinete de controlo antidoping, entre outros.

Este novo pavilhão deve funcionar como um pólo para a realização de eventos em toda a região, potenciando a nossa atratividade. Apresenta-se como sendo complementar ao centro de congressos e à rede de equipamentos desportivos do concelho, sendo o único que se apresenta como multiusos”, esclarece o autarca de Gaia, Eduardo Vítor Rodrigues.

O presidente recorda que “a autarquia tem prosseguido o enorme esforço financeiro e técnico na reabilitação de equipamentos mas, igualmente, na criação de pavilhões em zonas onde os existentes se encontram saturados e em locais onde a ausência deste tipo de espaços se verifica há demasiado tempo”.

Queremos um equipamento arquitetonicamente bonito, simples e marcante porque está localizado em frente à N222, por onde passam muitas pessoas e, com isto, queremos afirmar um novo tempo, com um urbanismo de qualidade”, conclui.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Segurança Social

A dívida implícita de Portugal

José Marques

Nos últimos 40 anos, período no qual se deu a maioria da acumulação desta dívida implícita, houve uma acumulação média, silenciosa, de dívida equivalente a mais de 10% do PIB por ano.

Trabalho

Ficção coletiva, diz Nadim /premium

Laurinda Alves

Começar reuniões a horas e aprender a dizer mais coisas em menos minutos é uma estratégia que permite inverter a tendência atual para ficarmos mais tempo do que é preciso no local de trabalho.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)