As autoridades norte-americanas estão a investigar mais uma morte possivelmente provocada pelo consumo de cigarros eletrónicos, anunciou a Divisão de Saúde Pública de Oregon em comunicado. É a segunda morte a ser reportada nos Estados Unidos por complicações respiratórios que surgiram depois da utilização de cigarros eletrónicos. A vítima tinha consumido canábis desta forma quando começou a sentir dificuldades respiratórias, falta de ar e problemas do trato intestinal.

Ann Thomas, uma médica do departamento que está a acompanhar a investigação, diz que “não se sabe ainda a causa exata destas doenças, se é por causa de contaminantes, ingredientes no líquido ou outra coisa qualquer, talvez até o dispositivo em si”. É por isso que os departamentos de saúde estão a estudar os mais de 200 casos de doenças pulmonares súbitas registadas em 25 estados norte-americanos. Todos os pacientes, assim como as vítimas mortais, tinham o hábito de usar cigarros eletrónicos.

Os doentes queixam-se de falta de ar, tosse, dor no peito, episódios de vómitos, diarreias, fadiga, febre e perda de peso. A origem do problema pode ser o uso de óleos de produtos com THC, uma substância psicoativa da canábis. “Nós não ligamos nenhum desses ingredientes específicos aos casos atuais, mas sabemos que o aerossol emitido por estes cigarros não é inofensivo. Em alguns casos, isso pode ter ocorrido, mas agora estamos a monitorizar. Temos que continuar com a investigação”, explicou o Centro de Controlo de Doenças (CDC).

Entre essas vítimas está o caso de Maddie Nelson, natural do estado do Utah, que ficou em coma induzido por quatro dias após três anos a fumar cigarros eletrónicos diariamente. Numa publicação feita no Facebook, a jovem de 18 anos explica que tinha desenvolvido uma pneumonia eosinofílica aguda, um problema de saúde grave que provoca a acumulação de glóbulos brancos nos pulmões. “O que fez os meus pulmões se encherem de líquido e os meus rins terem uma infeção foram os cigarros e, infelizmente, como somos a primeira geração a usá-los, ainda não há pesquisas suficientes para saber exatamente o que era”, avança.

Ainda em agosto, um estudo da revista científica Journal of Radiology sugeriu que a utilização continuada de cigarros eletrónicos que usam vapor de água tem impacto no funcionamento do sistema cardiovascular. E que quem fuma este tipo de cigarros continuamente corre o risco de desenvolver doenças como aterosclerose, mesmo que os dispositivos não tenham nicotina. O estudo concluiu que os sujeitos, apenas depois de utilizarem uma vez um destes cigarros, viram o fluxo sanguíneo alterado na artéria femoral da perna.