Quatro anos de pena suspensa. Foi lida esta segunda-feira a decisão do tribunal de Santa Maria da Feira que, no âmbito de um processo relacionado com o casos Face Oculta, condenou o empresário Manuel Godinho quatro anos de pena suspensa por branqueamento de capitais. A notícia está a ser avançada pela RTP 1 que indica que a pena foi suspensa porque há data dos factos Manuel Godinho não tinha antecedentes criminais.

O empresário de Ovar, que já tinha tido uma condenação no caso Face Oculta, estava desta vez acusado de, em 2017, ter procurado desviar uma verba de 56 mil euros reembolsados pelas Finanças a uma das suas empresas. Para além da pena suspensa, Manuel Godinho terá ainda de pagar três mil euros aos bombeiros de Santa Maria da Feira.

Além do empresário, também a sua namorada, um dos seus filhos e uma advogada são arguidos por terem disponibilizado contas bancárias para fazer circular o dinheiro. A advogada foi condenada a três anos e meio de prisão, avança a TVI.

Com este são já quarto os processo em que o sucateiro é julgado na sequência do Face Oculta. No processo principal, foi condenado a 17 anos e meio de prisão, pena que foi reduzida para 13 anos pelo Supremo Tribunal de Justiça.