A Porsche ainda não começou a entregar aos clientes as primeiras unidades do Taycan, mas se as entregas ainda não arrancaram, a polémica está de novo ao rubro.

Com apenas algumas unidades disponíveis, sejam eles protótipos com mais ou menos relação com os veículos que serão produzidos em série, de modo a serem entregues aos clientes americanos a partir do final de 2019 e aos europeus a partir de 2020, a Porsche começou a emprestar o Taycan Turbo S a órgãos de informação seleccionados. Isto desde logo teve o condão de levantar algumas suspeitas, não faltando quem acusasse a marca alemã de só estar a emprestar o Taycan a quem favorecesse o modelo.

Acusar é fácil, o difícil é provar que alguém agiu com dolo, pelo que faltava demonstrar que a Top Gear, um meio de informação respeitado, ou não pertencesse ele à britânica BBC, “mexeu” nos dados recolhidos durante o comparativo. E não foi necessário esperar muito até que Brooks Weisblat, da DragTimes, analisasse o vídeo da Top Gear e descobrisse erros grosseiros.

Tão grosseiros que levaram os ingleses a admitir prontamente que utilizaram dados de testes antigos, em que o Model S não estava equipado com as mais recentes especificações (motor Raven à frente), o que o tornava mais lento. Numa questão de segundos, a credibilidade foi posta em causa. Veja aqui os dois vídeos da DragTimes que levaram a Top Gear a admitir o erro.

Depois do especialista em provas de arranque ter apontado factos como a Top Gear não ter utilizado o launch mode no Model S Performance (como fez no Taycan Turbo S), tendo feito as medições em range mode, através apenas da análise do vídeo, o que também leva a que a bateria do carro americano não tenha sido pré-aquecida como foi a do seu rival alemão, eis que Elon Musk se juntou “à festa”, dando razão à análise de  Brooks Weisblat, rebaptizando o programa inglês como “Low Gear”. E se a Porsche pode desconhecer o que acontece com os seus Taycan, a Tesla sabe sempre, em cada segundo, o que fazem os seus veículos, inclusivamente se, em dado momento, estão em launch mode ou range mode.

A Porsche é um excelente fabricante, produzindo há muito veículos robustos, rápidos e que dão gozo conduzir. Perder para a Tesla pode ser um problema, mas de nada servirá vencer num comparativo que não tenha sido feito com rigor, pois a marca do Grupo VW não necessita de “favores” deste género. Veja aqui o vídeo da discórdia: