Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Durante o verão, a Microsoft, que encerra os escritórios às sexta-feiras durante o mês de agosto, decidiu dar um dia extra de folga aos seus trabalhadores no Japão. Os resultados não podiam ter sido melhores: apesar de terem começado a passar menos tempo no local de trabalho, os trabalhadores da multinacional tornaram-se mais produtivos. Segundo um comunicado emitido pela empresa e citado pela CNN, a produtividade aumentou quase 40% em relação ao mesmo período no ano passado.

A Microsoft incitou ainda os seus trabalhadores a passarem menos tempo em reuniões (sugerindo que estas não deviam demorar mais do que 30 minutos) e a responder a emails. Mais de 90% dos cerca de 2.300 empregados da empresa no Japão admitiram terem sentido o impacto das medidas. A empresa, por seu turno, acabou por poupar nalguns recursos, nomeadamente na eletricidade, por encerrar mais cedo do que é normal.

A experiência correu tão bem que a multinacional está a planear realizar um novo ensaio ainda este ano. De acordo com a CNN, será pedido aos trabalhadores que sugiram outras medidas para melhorar o equilíbrio entre a vida profissional e pessoal e a eficiência. Como lembra a estação de televisão, no Japão, existe uma cultura de excesso de trabalho.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR