O empresário e advogado espanhol Vicente Boluda anunciou que vai ser candidato às eleições presidenciais do clube desportivo Real Madrid, que é presidido há dez anos por Florentino Pérez.

Boluda, que foi presidente do clube durante os primeiros cinco meses e meio de 2009 — interinamente, num curto período entre os mandatos de Ramón Calderón, de quem era vicepresidente, e as eleições que deram a primeira vitória a Florentino —, anunciou a intenção num almoço com uma Associação de Empresários de Valência, de que é atualmente presidente.

No encontro em que anunciou a candidatura estavam jornalistas que citam já algumas das explicações dadas por Boluda para avançar para o próximo ato eleitoral no clube, agendado para daqui a dois anos, em 2021. O site Sports Finding, por exemplo, refere que o empresário defendeu que “para haver eleições [a sério] devem existir [pelo menos] dois candidatos e sinto que deveriam existir eleições no Real Madrid” e o jornal As, citando o relato da estação de rádio Cadena Ser, garante que Boluda elogiou o trabalho de Florentino na última década e defendeu que a sua candidatura deve-se à vontade de que haja discussão e pluralismo de ideias para o clube.

Vicente Boluda na sua tomada de posse como presidente interino do Real Madrid, em janeiro de 2009 (@ Denis Doyle/Getty Images)

O empresário garantiu ainda que tem acesso a financiamento que lhe permita candidatar-se e apresentar-se como solução credível para o Real Madrid — o que é uma obrigação dos estatutos do clube, que impõe a possíveis presidentes um património pessoal avaliado em pelo menos 25 milhões de euros. Além disso, apontou já a necessidade do clube madrileno fazer “três contratações”, sem especificar para que posições ou de que jogadores, de acordo com o jornal El País.

Vicente Boluda já tinha manifestando interesse em candidatar-se à presidência do Real Madrid em 2017 mas, lembra o jornal La Vanguardia, foi impedido devido a uma alteração dos estatutos do clube aprovada no início da década, que obriga os sócios a terem 20 anos de filiação ininterrupta para se poderem candidatar. Em 2021, o empresário cumprirá 22 anos de filiação e terá já os requisitos legais para poder apresentar-se como concorrente de Florentino em eleições.

O primeiro rival anunciado de Florentino Pérez está envolvido em várias associações — da Associação de Empresários de Valência à Associação Nacional de Rebocadores de Espanha, passando por outras de solidariedade e mecenato — e já desempenhou também funções políticas, tendo sido assessor jurídico do ministério da Defesa do país.