Cristiano Ronaldo já é uma figura conhecido no Dubai e nos Globe Soccer Awards – até porque, contas feitas, de 2013 até hoje apenas num ano não ganho nada. Se há jogador que se sente “em casa” por ali é o avançado português que, entre todas as estrelas que passam pela passadeira vermelha, é sempre a mais requisitada e idolatrada por todos os fãs presentes. Por isso, na véspera da cerimónia, o avançado da Juventus aproveitou as conferências que antecedem o evento para abordar uma série de temas da vida pessoal, da carreira e… do futuro.

João Félix ganha Revelação do Ano nos Globe Soccer Awards, Benfica considerado melhor Academia (a par do Ajax)

“Na minha vida tento sempre aprender, educar-me e formar-me naquilo que me interessa. Quero recuperar o tempo em que tive de renunciar à escola. Há vida depois do futebol. Ganhar mais ou menos uma Champions não me vai fazer feliz mas claro que quero ganhar. Todavia, preparo-me para uma vida nova e quero outras coisas: melhorar o meu inglês, participar num filme em Hollywood que exige inglês top e uma performance top… Para conseguir isto tens de sair da tua zona de conforto, aprender cada vez mais e desafiares-te a ti mesmo, que é algo que gosto muito. E, claro, tens de te rodear de pessoas inteligentes”, explicou numa das respostas, entre outras como a preparação, o rendimento e até o pedido do filho mais velho para aguente até poderem jogar juntos.

Ronaldo num filme de Hollywood? “Tenho de ter um inglês e uma performance top”

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Em campo como fora dele, Ronaldo falou e não demorou a ser ouvido: Michele Plácido, ator e realizador italiano, já se mostrou disponível para ter o avançado num dos seus filmes. “Daria uma oportunidade a uma personagem como Ronaldo, mesmo no meu próximo filme sobre Caravaggio. Se pensarmos bem, Cristiano teria sido perfeito para interpretar ‘Freddo’ no ‘Romanzo Criminale’. Cristiano é frio e racional, não erra. Pense no extraordinário golo que marcou contra a Sampdoria: tremenda elevação, suspensão no céu, a expressão facial de quem diz ‘sou um vencedor'”, comentou ao Tuttosport, acrescentando que conseguia mais facilmente ver o português num filme de ação e comparando-o a Tom Cruise da “Missão Impossível” e do ‘Top Gun”.

E voltando ao Dubai, o filme também foi o mesmo: numa das poucas eleições este ano em que conseguiu superar Messi e Van Dijk – além de Mo Salah, que estava também nomeado –, Ronaldo ganhou pela sexta vez o prémio de Melhor Jogador do Ano (quarta consecutiva), repetindo os galardões de 2011, 2014, 2016, 2017 e 2018 do evento organizado pela Associação de Europeia de Clubes e pela Associação Europeia de Agentes de Futebol. Também Jorge Mendes recebeu pela oitava ocasião o prémio de Agente do Ano, falhando apenas em 2016.

“Tenho de agradecer à minha família, a minha namorada, ao meu filho mais velho que está aqui, aos meus três filhos que estão no hotel para depois seguirmos todos para Turim, à minha família que está em Portugal, aos meus companheiros da Juventus e da Seleção Nacional, ao meu agente, a todos os patrocinadores da gala, à comunidade árabe que é sempre fantástica comigo e ao Dubai que é um sítio maravilhoso onde venho todos os anos. Quero ainda agradecer a todos os que votaram em mim, é fantástico receber este galardão e espero estar cá para o ano”, começou por comentar Cristiano Ronaldo, antes de falar também com algum humor à mistura do golo recente que marcou à Sampdória: “Foi um dos melhores que marquei na minha carreira mas tenho 100% de certeza que não fizeram bem os cálculos porque saltei mais do que 2,56 metros…”.

A lista de prémios nacionais desde 2010 nos Globe Soccer Awards é a seguinte:

2010: Jorge Mendes (Agente do Ano)
2011: Cristiano Ronaldo (Jogador do Ano e Maior Atração no Futebol), Jorge Mendes (Agente do Ano) e Pinto da Costa (Carreira de Dirigente)
2012: Jorge Mendes (Agente do Ano) e José Mourinho (Melhor Treinador e Maior Atração no Futebol)
2013: Cristiano Ronaldo (Jogador Preferido dos Fãs), Jorge Mendes (Agente do Ano) e Deco (Carreira de Jogador)
2014: Cristiano Ronaldo (Jogador do Ano e Jogador Preferido dos Fãs) e Jorge Mendes (Agente do Ano)
2015: Jorge Mendes (Agente do Ano) e Benfica (Academia do Ano)
2016: Cristiano Ronaldo (Jogador do Ano e Prémio Boa Vontade)
2017: Cristiano Ronaldo (Jogador do Ano) e Jorge Mendes (Agente do Ano)
2018: Cristiano Ronaldo (Jogador do Ano e Jogador Preferido dos Fãs) e Jorge Mendes (Agente do Ano)
2019: Jorge Mendes (Agente do Ano), Benfica (Academia do Ano), João Félix (Revelação do Ano) e Cristiano Ronaldo (Jogador do Ano)

A lista de nomeados para cada um dos galardões de 2019 era a seguinte:

Jogador do ano
– Cristiano Ronaldo (Juventus/Portugal)
– Virgil Van Dijk (Liverpool/Holanda)
– Lionel Messi (Barcelona/Argentina)
– Mohamed Salah (Liverpool/Egito)

Jogadora do ano
– Alex Morgan (Orlando Pride/EUA)
– Lucy Bronze (Lyon/Inglaterra)
– Megan Rapinoe (Reign FC/EUA)
– Amandine Henry (Lyon/França)

Revelação do ano
– Jadon Sancho (B. Dortmund/Inglaterra)
– Haaland (Salzburgo/Noruega)
– Ansu Fati (Barcelona/Guiné e Espanha)
– João Félix (Atl. Madrid/Portugal)

Clube do ano
– Ajax (Holanda)
– Liverpool (Inglaterra)
– Lyon (França)

Treinador do ano
– Jürgen Klopp (Liverpool/Alemanha)
– Erik Ten Hag (Ajax/Holanda)
– Fernando Santos (Portugal/Portugal)

Agente do ano
– Mino Raiola (Itália)
– Jorge Mendes (Portugal)
– Federico Pastorello (Itália)

Diretor desportivo do ano
– Andrea Berta (Atl. Madrid/Itália)
– Éric Abidal (Barcelona/França)
– Igli Tare (Lazio/Albânia)
– Marc Overmars (Ajax/Holanda)

Parceria do ano
– Liverpool e Standard Chartered
– Manchester City e SAP
– Barcelona e Beko

Jogador árabe do ano
– Tarek Hamed (Zamalek/Egito)
– Salem Al-Dawsari (Al Hilal/Arábia Saudita)
– Abderrazak Hamdallah (Al Nassr/Marrocos)
– Youcef Belaïli (Al Ahli/Argélia)
– Akram Afif (Villarreal/Qatar)

Equipa árabe do ano
– Al Hilal (Arábia Saudita)

– Wydad (Marrocos)
– Espérance Tunis (Tunísia)
– Zamalek (Egito)
– Al Nassr (Arábia Saudita)

Receberam ainda prémios este ano Benfica e Ajax (Melhor Academia), Alisson Becker (Guarda-redes do Ano), Ryan Giggs e Pjanic (Prémio Carreira Jogador), Achraf Hakimi (Melhor Jogador Jovem Árabe do Ano) e Stéphanie Frappart (Melhor Árbito do Ano).