O jogo de futebol deste sábado entre o Hoffeinhem e o Bayern Munique, a contar para a 26ª jornada da primeira liga de futebol alemã, teve de ser interrompido durante mais de dez minutos depois de os adeptos do Bayern terem insultado, com recurso a tarjas e cânticos, o dono do Hoffeinhem, o multimilionário Deitmar Hopp.

O aparato foi tal que tiveram de ser os próprios jogadores e equipa técnica do Bayern a dirigir-se aos seus adeptos para lhes pedirem que retirassem as tarjas, e foi preciso o presidente do clube de Municque, Karl-Heinz Rummenigge, ir falar com os adeptos para acalmar a situação. “Estou muito envergonhado com o comportamento deles. É indesculpável. É a parte feia do futebol. Já pedi desculpa a Dietmar Hopp. Filmámos tudo e estas pessoas serão responsabilizadas”, garantiu Rummenigge depois do jogo.

O jogo teve de ser interrompido duas vezes, na segunda parte, quando o Bayern já ganhava por seis golos. Nos cartazes, nas bancadas, lia-se “Que todo mundo saiba, Hopp não cumpre com sua palavra. Filho da p***”. Depois de o árbitro ter retomado a partida, uma primeira vez depois da confusão, e como os insultos não paravam, os jogadores de ambas as equipas surpreenderam ao se limitarem a trocar a bola entre si, não dando seguimento ao jogo.

O gesto dos jogadores durou 13 minutos e motivou aplausos fortes das bancadas da casa. Dietmar Hopp, um multimilionário que fez fortuna na área da tecnologia, é uma figura polémica no futebol alemão, por alegadamente não respeitar a regra dos “50+1”, que impede que um investidor privado tenha mais do que 49 por cento das ações de um clube.