Project Gutenberg

O Project Gutenberg é um gigantesco repositório digital, acessível de forma fácil e gratuita. A plataforma foi fundada em 1971, pelo escritor norte-americano Michael S. Hart, e mantém-se em funcionamento e constante atualização graças ao trabalho de milhares de voluntários que digitalizam e editam os e-books. É, atualmente, a mais antiga biblioteca digital do mundo.

Com mais de 60 mil e-books disponíveis para ler online (em formato simples, HTML) ou no tablet e Kindle, inclui todos os grandes clássicos cujos direitos autorais já expiraram nos Estados Unidos da América. Isto significa que, no caso das traduções, muitas vezes feitas há várias décadas, a abordagem e linguagem podem ser um pouco antiquadas.

Os livros estão disponíveis nas mais variadas línguas, embora o inglês seja predominante (49.986), seguido do francês (3.073). Em língua portuguesa, existem atualmente 555 obras disponíveis para download, de vários temas, épocas e autores, portugueses, como Bocage, Antero de Quental ou Almada Negreiros, e estrangeiros.

Se está perdido na leitura, o Project Gutenberg tem uma página com os livros mais populares da biblioteca (Pride and Prejudice, de Jane Austen, ocupa o primeiro lugar) e uma outra com os 100 que mais vezes foram baixados, onde pode encontrar sugestões. Pode ainda consultar as novas adições, aqui. No entanto, se os grandes clássicos não são bem a sua praia, a biblioteca tem ainda uma página com obras de autores contemporâneos, igualmente gratuita.

Open Library

A Open Library faz parte do Internet Archive. É um projeto ambicioso, nascido em 2006 graças a uma bolsa atribuída pela California State Library e a um financiamento da Kahle/Austin Foundation. O seu objetivo é criar uma página para cada livro que existe.

Isso significa que, além de disponibilizar para download livros de livre acesso ou que já não se encontram disponíveis no mercado, inclui informação sobre muitos outros que não estão acessíveis. Ou seja, a Open Library não é apenas uma biblioteca digital, é também um repositório de informação de todos os livros possíveis e imagináveis. Isso faz com que a sua utilização não seja tão simples e intuitiva, mas permite outras funcionalidades.

Por exemplo, além de permitir o download de e-books (em diferentes formatos, incluindo PDF), a Open Library possibilita também o empréstimo (“borrow”) de determinados títulos até duas semanas por utilizadores registados no site. Estes podem ser lidos no browser do computador ou tablet. A escolha de títulos é, portanto, maior e mais diversificada em comparação com o Project Gutenberg, mas com a limitação de não ser para sempre.

Wikisource

A Wikisource é um projeto da Fundação Wikimedia que visa criar uma biblioteca grátis e de livre acesso com textos fundamentais e suas respetivas traduções. Originalmente chamado Project Sourceberg, uma brincadeira com o nome da plataforma criada por Michael S. Hart, o Project Gutenberg, nasceu em novembro de 2003 como uma coleção de textos de apoio às entradas da Wikipedia. Cresceu rapidamente, e dois anos depois, contava com 20 mil textos em várias línguas.

Hoje, a Wikisource reúne muitos mais — além de textos fundamentais, de ficção e não ficção, inclui documentos históricos de interesse nacional ou internacional e biografias de autores disponíveis na biblioteca digital. Estes encontram-se catalogados por era, género, nacionalidade, tipo e tema. Podem ser lidos online, no browser do computador, ou em qualquer outro dispositivo em formato PDF (o único disponível para download). São mais de 100 mil os idiomas representados na plataforma.

Atualmente, a equipa da Wikisource encontra-se a trabalhar na revisão da edição de Leaves of Grass, de Walt Whitman, que se encontra online aqui.

Amazon

Apesar de ser uma loja online, a Amazon disponibiliza alguns e-books, em formato Kindle (o dispositivo de leitura de e-books da Amazon), de forma gratuita. Mais uma vez, são sobretudo clássicos cujos direitos de autor já expiraram, mas existem algumas obras mais recentes e outras que nada têm a ver com literatura (como aquelas que são disponibilizada pelos Amazon Web Services). É possível encontrar livros em várias línguas, como o inglês, o espanhol ou o russo.

Imprensa Nacional – Casa da Moeda

A Imprensa Nacional – Casa da Moeda (INCM) decidiu antecipar a disponibilização online de alguns dos conteúdos, “prevista para mais tarde”, numa medida de combate ao isolamento e incentivo à leitura. Assim, na sexta-feira passada, 13 de março, começaram a ficar acessíveis todos os títulos da coleção “O Essencial Sobre…”. Entre estes contam-se títulos mais recentes, como O Essencial sobre Walt Whitman, de Mário Avelar, ou O Essencial sobre Charles Chaplin, de José Augusto França, e outros mais antigos, alguns esgotados há algum tempo.

“Consciente igualmente das consequências que tais resoluções comportam e tendo em conta que muitos e muitas de nós estaremos nos próximos tempos em isolamento social, a Imprensa Nacional dará a partir de hoje cumprimento à sua missão de serviço público, de preservar e divulgar a memória e o património comuns, antecipando a disponibilização dos nossos conteúdos digitais, disponibilização essa que estava prevista para mais tarde”, declarou a INCM no seu site.

A coleção “O Essencial Sobre…” foi inaugurada em 1980, por Vasco Graça-Moura, então responsável pelas edições da INCM. A ideia era criar uma coleção sobre diversos temas da cultura e da literatura portuguesas, explicados de uma forma breve e acessível, para um público generalista e por um valor acessível. Atualmente, conta com 136 títulos (algumas segundas edições), “para os quais contribuíram e continuam a contribuir os mais prestigiados escritores e pensadores nacionais. Foi, entretanto e naturalmente, abrindo portas a nomes e a temas internacionais, muitos deles fundamentais para a matriz cultural do Ocidente”, de acordo com INCM.

A Imprensa Nacional está a trabalhar para que esta lista seja em breve alargada, passando a incluir todos os títulos de “O Essencial Sobre…”, e outras obras.

Artigo atualizado às 8h44 com os novos títulos da INCM