Era o grande rumor da comunidade tecnológica e chegou esta quarta-feira ao fim: a Apple tinha mesmo uma segunda versão do iPhone SE guardada para 2020. Anunciado oficialmente nesta quarta-feira, o novo modelo daquele que é considerado o iPhone de baixo custo da marca da maçã chega às lojas portuguesas a 24 de abril e pode ser adquirido, no mínimo, por 499 euros (versão de 64 GB). As reservas ficam disponíveis a partir das 13 horas de 17 de abril.

Disponível em três cores — branco, preto e vermelho — o novo SE pede emprestado o processador A13 Bionic ao recente iPhone 11, tem estrutura em vidro resistente e alumínio e um ecrã de retina de 4,7 polegadas. A versão mais económica tem 64 Gigabytes de memória. O primeiro modelo SE da Apple foi lançado em 2016 e desde essa altura que o modelo não tinha sido atualizado.

Comparativamente aos outros modelos (e preços) lançados pela Apple todos os anos, este modelo sempre foi considerado o iPhone “low-cost” da marca, o que não significa que seja um smartphone barato. A versão de 128 GB custa 549 euros e a de 256 GB custa 669 euros.

O que já se sabe sobre o iPhone “low-cost” (ou mais barato do que os atuais)

Quem esperava um iPhone com o tamanho do SE, com 4 polegadas — um tamanho mais perto do que Steve Jobs, fundador da Apple, dizia ser o ideal para um smartphone –, não o vai ter. Em termos de design, o aspeto é muito semelhante ao do iPhone 7 e 8, com o mesmo no tamanho, sendo que o ecrã utiliza a tecnologia Retina HD. De forma resumida: tem capacidade para mostrar imagens bastante nítida).

Desde setembro, quando a empresa retirou do mercado os iPhone 8 e 8 Plus, que os equipamentos que vendia oficialmente contavam apenas com gestos. Contudo, com o este design, a Apple voltou a introduzir no mercado um smartphone com um botão físico para o menu principal. Este funciona, como noutros modelos, também como sensor de impressões digitais para desbloquear o dispositivo.

Apesar de o preço ser reduzido em relação aos últimos iPhone 11, este dispositivo tem muitas das características que os fãs da marca pediam nos últimos anos para este modelo: carregamento rápido e sem fios e novas câmaras fotográficas que façam uso do processador A13 (o mais avançado da Apple). Além disso, este novo iPhone SE tem resistência IP67 às poeiras e água, o que leva a empresa a afirmar que pode ser submergido em água doce até um metro de profundidade durante 30 minutos.

Por fim, e em relação ao nome, é mesmo — simplesmente — SE. SE significa special edition — em português, edição especial –, como o modelo de 2016. Os rumores indicavam que se deveria chamar iPhone 9 ou iPhone SE2, mas não foi assim.