As longas-metragens que estiverem nomeadas para os Óscares não poderão concorrer para os prémios Emmy, na sequência de alterações ao regulamento da Academia da Televisão para se ajustar às modificações na indústria do entretenimento provocadas pela pandemia.

De acordo com um comunicado esta quinta-feira divulgado, citado pela agência espanhola Efe, “a Academia da Televisão apoia a decisão recentemente tomada pela Academia de Hollywood de permitir que os filmes, cujas estreais estavam inicialmente previstas para as salas de cinema tenham sido apresentadas em streaming […] por causa da pandemia, possam competir nos Óscares de 2021“.

Contudo, a instituição que organiza os Emmy “decretou, em março, que, a partir de 2021, as produções nomeadas para os Óscares não serão elegíveis para concorrer para os Emmy“, acrescenta a nota.

A decisão surgiu depois de a Academia de Hollywood, responsável pela organização da cerimónia dos Óscares e atribuição dos galardões, anunciar que, na próxima edição, poderão concorrer longas-metragens que tenham sido estreadas em plataformas digitais ou na televisão.

Hollywood sublinhou, no entanto, que apenas os filmes cuja estreia foi “originalmente pensadas para projeção nas salas de cinema” poderão concorrer para estes prémios.