A Nikola Motor Company é uma das mais recentes sensações da bolsa e tudo porque Trevor Milton, o CEO da companhia norte-americana especializada em camiões eléctricos movidos a célula de combustível, decidiu entrar na “guerra” das pick-up e anunciou, ao jeito de Elon Musk (no Twitter), que a rival da Tesla Cybertruck vai abrir as encomendas a 29 de Junho.

Depois de fazer troça da estética da Cybertruck, a Nikola decidiu-se a avançar para a concepção de um produto concorrente que, mais do que fazer frente aos argumentos da rival, vem desafiar a própria convicção do CEO da Tesla. É conhecido o descrédito com que Elon Musk encara as células de combustível como alternativa às baterias nos carros eléctricos. E essa posição não é de agora: soube-se que foi essa a mensagem que transmitiu aos seus funcionários, já em 2013, quando lhes disse que “muitos defendem que os carros eléctricos não são viáveis e, então, falam nas fuel cells”. Mas, segundo ele, “isso é um disparate” porque essa tecnologia pode ser “interessante para os foguetões, mas não para automóveis”. Diz o homem que faz negócio com os dois através, respectivamente, da SpaceX e da Tesla.

Tesla Cybertruck: incrível na forma, potência e… preço

Sucede que a Nikola defende precisamente o contrário. A empresa, fundada há apenas cinco anos, está apostada em viabilizar aquilo que construtores tradicionais, como a Mercedes ou a Audi, tentaram fazer e depois desistiram, optando pelos eléctricos convencionais a bateria (BEV). Recorde-se que a Honda também foi por aí, mas o Clarity deixará de ser produzido este ano devido à fraca procura. Por seu lado, quase em contra-corrente, Toyota e Hyundai, com o Mirai e o Nexus, respectivamente, continuam a acreditar e a desenvolver a tecnologia das fuel cells a hidrogénio. Contudo, isso não as impede de procurar volume com os BEV.

Acreditando nas fuell cells que Musk desacredita, a Badger vai apresentar-se ao mercado com duas versões eléctricas, uma alimentada pela energia acumulada nas baterias e outra movida pela electricidade gerada a bordo pela célula de combustível a hidrogénio. Sendo que esta última tecnologia pode, a pedido, ser incorporada na versão a bateria para dilatar a autonomia entre recargas, sem ter de sobrecarregar o veículo com o peso “extra” de mais módulos de células de iões de lítio. Trevor Milton promete que a unidade que vai subir ao palco da próxima edição do Nicola World nada terá de showcar. Outra bicada na Tesla?

A versão a bateria alcançará 483 km, enquanto a variante com fuel cell promete uma autonomia de 966 km. Num e noutro caso, há que contar com uma potência digna de um superdesportivo e a força de um camião: 919 cv e 1329 Nm. Trunfos que ganham vida graças a uma bateria com 160 kWh, enquanto o pack de fuell cell ascende a 120 kW. Naturalmente com tracção integral e uma capacidade de reboque de 3629 kg, a Badger vai de 0 a 97 km/h em 2,9 segundos, igualando neste particular o alvo a abater. Com uma bateria em torno de 250 kWh, a Cybertruck terá três motores na sua versão de topo, que a impulsionarão também dos 0 a 97 km/h em 2,9 segundos. A potência da Tesla ainda não foi anunciada, mas a autonomia aponta para mais de 804 km em EPA, o que deverá corresponder a um mínimo de 830 a 850 km em WLTP.