Cinco novos casos de pessoas com Covid-19, da mesma família, foram esta segunda-feira detetados em Reguengos de Monsaraz, elevando para oito o total de infetados na comunidade, fora do lar onde apareceu o surto inicial, revelou o autarca local.

O presidente da Câmara de Reguengos de Monsaraz (Évora), José Calixto, disse à agência Lusa que estes cinco novos casos foram conhecidos esta segunda-feira, fruto dos resultados dos testes efetuados à comunidade no domingo.

Os “quase 100 testes” efetuados “levam a um resultado de cinco testes positivos, todos numa família, com filhos, o que, de alguma forma, sendo sempre preocupante, em termos comunitários é um indicador positivo”, assinalou o autarca.

Segundo José Calixto, os cinco casos, atendendo ao número de testes realizados, mostram que “há uma baixa percentagem” de infeção e que se trata de “casos muitos concretos, neste caso de uma única família”.

Contactado pela Lusa, Augusto Santana Brito, a Autoridade Local de Saúde do Agrupamento de Centros de Saúde (ACES) do Alentejo Central, revelou que esta família “está em confinamento em casa” e que os infetados praticamente “não apresentam sintomas”.

“Estão em confinamento a sete chaves e só saem quando estiverem curados ou se precisarem de cuidados médicos, mas esperamos que não precisem”, acrescentou, referindo à Lusa não possuir dados sobre o sexo, a idade ou o parentesco das cinco pessoas.

Também em confinamento nas suas casas permanecem os outros três populares que, no fim de semana, já tinham recebido os resultados positivos dos testes de despistagem, lembrou o autarca.

José Calixto indicou à Lusa que, durante o dia desta segunda-feira, foram efetuados “mais 164 testes” para despistagem da Covid-19, não só a habitantes do seu concelho, mas também a “utentes de uma instituição de apoio à terceira idade de Montoito”, no vizinho concelho de Redondo, que “foram transportados para serem testados”.

Durante a tarde, esteve também a ser preparada a instalação de uma Área Dedicada Covid completa em Reguengos de Monsaraz, no Parque de Feiras e Exposições, que o autarca espera que possa começar a funcionar na terça ou na quarta-feira.

“Já estava a funcionar uma Área Dedicada Covid apenas com recolha de amostras”, mas o que se pretende agora é “uma área completa, com os médicos e enfermeiros para fazerem o rastreio, a observação e o encaminhamento ou não para testes”, explicou.

Este “serviço mais completo”, quando começar a funcionar, “permite mais facilmente que uma maior quantidade de membros da comunidade possa ser testada”, afiançou.

Na quinta-feira, foi detetado o primeiro caso positivo de Covid-19 no lar da Fundação Maria Inácia Vogado Perdigão Silva (FMIVPS), em Reguengos de Monsaraz, o de uma utente que foi de imediato internada, tendo sido iniciada nesse dia a testagem a todos os funcionários e utentes da instituição e, posteriormente, à comunidade.

O autarca disse à Lusa que, à data desta segunda-feira, no que à FMIVPS diz respeito, o balanço é de 17 trabalhadoras e de 46 utentes infetados com a doença provocada pelo novo coronavírus SARS-CoV-2. Três idosas estão internadas no hospital.

Serviços do município, escolas, creches e jardins-de-infância locais, atividades de apoio à família e “alguns estabelecimentos comerciais” situados nas imediações do lar afetado já foram encerrados.