Oficial: Novak Djokovic, o número 1 do ranking mundial do ATP, também contraiu o novo coronavírus durante o Adria Tour, evento de cariz solidário que teve o irmão do sérvio e um dos seus treinadores, Goran Ivanisevic, como principais responsáveis pela organização. A notícia foi avançada pelo jornal sérvio Kurir, que garantia que o teste feito na segunda-feira pelo jogador teve um resultado positivo, e confirmada num comunicado.

Primeiro Dimitrov, agora Coric e mais dois técnicos: torneio de Djokovic continua a contabilizar casos positivos

“Assim que chegámos a Belgrado fomos logo testados. Testei positivo, assim como a Jelena [a mulher do jogador]. Já os nossos filhos não estão infetados”, começou por revelar o tenista sérvio na missiva.

“Tudo o que fizemos no último mês foi sem intenção e sem malícia. O nosso objetivo era unir e passar uma mensagem de solidariedade. Organizámos o torneio quando o vírus estava enfraquecido, acreditando que estavam reunidas as condições para o mesmo se realizar. Infelizmente, o vírus ainda está presente e esta é uma realidade à qual ainda nos estamos a habituar. Sinto muito por todos os casos positivos. Espero que não venha causar complicações de saúde a ninguém e que todos fiquem bem”, acrescentou Djokovic.

De recordar que o Adria Tour, torneio que teve uma primeira etapa em Belgrado e que passou agora por Zadar (teria ainda mais dois fins de semana de competição), já tinha provocado a infeção a mais três jogadores: o búlgaro Grigor Dimitrov, o primeiro a revelar o teste positivo no domingo; o croata Borna Coric, que anunciou o mesmo na segunda-feira; e o sérvio Viktor Troicki, que avançou esta terça-feira que estava infetado com Covid-19 tal como a mulher, que se encontra grávida. Ao mesmo tempo, também o treinador de Dimitrov, Kristijan Groh, e o preparador físico de Djokovic, Marko Paniki, confirmaram os testes positivos nas últimas horas.

Troicki é o terceiro tenista do Adria Tour a testar positivo. Mulher grávida também está infetada

À medida que foram sendo conhecidos esses casos, as críticas a Novak Djokovic foram aumentando de tom, não só pelo não cumprimento das regras de segurança nos vários eventos organizados (além dos jogos de ténis com casa cheia, houve também jogos de basquetebol e outras ações com a comunidade onde é visível que ninguém usava máscara nem havia especiais cuidados) mas também por uma festa noturna onde aparecia num vídeo sem camisola a dançar sem máscara tratando-se de um espaço fechado e com “lotação esgotada”.