“Whiplash”, filme de 2014, é um ótimo exemplo. Esteve nomeado para as principais categorias dos Óscares, entre Melhor Filme e Melhor Argumento Adaptado, mas somente para uma de representação: a de Melhor Ator Secundário, onde acabou por ganhar, através de uma interpretação brilhante de J. K. Simmons no papel do implacável professor Terence Fletcher. É um filme onde o ator secundário se sobrepôs ao principal para se tornar o verdadeiro destaque. E era precisamente isso que o Sporting queria fazer esta quarta-feira no Dragão.

FC Porto vence clássico no Dragão com golos de Danilo e Marega e sagra-se campeão nacional

De forma atípica mas natural tendo em conta as circunstâncias, apenas uma das duas equipas mais mencionadas em dia de Clássico entrava em campo. A possibilidade de o FC Porto terminar a noite desta quarta-feira como novo campeão nacional, já que só precisava de um ponto para garantir desde já o primeiro lugar no final da temporada, tornava o Benfica o outro protagonista da partida do Dragão, por ser o provável derrotado no final dos 90 minutos. O Sporting, o verdadeiro adversário dos dragões, parecia cair para o fosso do ator secundário. E era precisamente isso que Rúben Amorim queria evitar esta quarta-feira no Dragão.

Este artigo é exclusivo para os nossos assinantes: assine agora e beneficie de leitura ilimitada e outras vantagens. Caso já seja assinante inicie aqui a sua sessão. Se pensa que esta mensagem está em erro, contacte o nosso apoio a cliente.