Os ingredientes eram de luxo. Para comemorar os 100 anos de nascimento da fadista Amália Rodrigues, neste mês de junho de 2020, os fadistas Ana Moura, Camané e Ricardo Ribeiro aliaram-se à Orquestra Metropolitana de Lisboa (dirigida pelo maestro Rui Pinheiro), aos músicos José Manuel Neto, Pedro Soares e Daniel Pinto e a convidados como Gaspar Varela (jovem guitarrista e sobrinho-bisneto de Amália), Mário Laginha e Ricardo Toscano para evocarem os fados cantados por aquela que é uma das vozes maiores da música portuguesa — para muitos, a voz maior.

O espetáculo aconteceu mesmo na última quinta-feira, no Castelo de São Jorge, em Lisboa, mas teve de decorrer sem público e sem a pompa inicialmente prevista, devido à pandemia do novo coronavírus e às restrições impostas pela situação pandémica ainda instável na região de Lisboa e Vale do Tejo, que trocou as voltas à organização.

A transmissão em direto acabou por ser feita à mesma, através do Facebook — nas contas da Câmara Municipal de Lisboa, EGEAC Cultura em Lisboa, Museu do Fado e Cultura na Rua – EGEAC —, mas o vídeo integral do concerto não ficou disponível online posteriormente.

A explicação é dada agora: para “todos os que não conseguiram ver” ou “desejam rever” o espetáculo, a RTP vai transmitir o concerto “No Tempo das Cerejas” a 30 de julho. A novidade é dada na página de Facebook do Museu do Fado, onde foram também partilhadas algumas fotografias da noite, da autoria de José Frade e EGEAC. O concerto teve direção artística de Luís Varatojo e os arranjos de orquestra foram definidos por Pedro Moreira, Filipe Raposo e Mário Laginha.

NO TEMPO DAS CEREJAS reuniu muitos de nós que a partir das nossas casas fizemos parte com a Ana Moura, o Camané – Página…

Posted by Museu do Fado on Monday, July 20, 2020

Antes da transmissão a 30 de julho (quinta-feira da próxima semana) do espetáculo, que era um dos destaques maiores do programa de comemorações do centenário do nascimento de Amália Rodrigues, será ainda possível ver outro concerto.

A 23 de julho (portanto, já esta quinta-feira), a data de nascimento oficial de Amália Rodrigues — embora esta contrariasse os registos e garantisse ter nascido antes, a 1 de julho —, o fadista Camané e o pianista Mário Laginha vão voltar a juntar-se “para um tributo singular ao seu legado universal”.

Camané e Mário Laginha iniciaram em 2019 um projeto de colaboração em duo, intitulado Aqui Está-se Sossegado, e vão dar um concerto que será transmitido “em direto” a partir das 21h30 nas contas de Facebook da Câmara Municipal de Lisboa, da EGEAC – Cultura em Lisboa e do Museu do Fado. Também este concerto, em que o duo aproveitará para “revisitar alguns dos temas mais emblemáticos de Amália Rodrigues e Alain Oulman”, decorrerá sem público presente.

“Amália só foi fiel a uma entidade colectiva: o povo português”

No mesmo dia 23 de julho, RTP vai transmitir um outro concerto de homenagem a Amália Rodrigues, que decorreu na sua herdade do Brejão e que juntou múltiplos fadistas: Ana Moura, Jorge Fernando, Katia Guerreiro, Marco Rodrigues, Ricardo Ribeiro, José Gonçalez, Sara Correia e Fábia Rebordão.

As restantes iniciativas de comemoração do centenário de nascimento de Amália Rodrigues podem ser consultadas aqui.

Amália morreu há 20 anos. Porque é que a voz dela era especial?