Julho foi um mês repleto de edições na música, a contrastar com aquilo que se espera que aconteça em agosto. Se a pandemia da Covid-19 pode ter alterado os planos a alguns artistas e bandas, que adiaram o lançamento de discos inicialmente previstos para a primavera, este mês multiplicaram-se os álbuns de relevo.

Em Portugal o mês trouxe discos como o álbum de regresso de B Fachada, Rapazes e Raposas (disponível apenas digitalmente — e digitalmente apenas na plataforma Bandcamp), o novo disco de Selma Uamusse, Liwoningo, ou Surdina, a banda sonora que Tó Trips (ex-Dead Combo) compôs para um filme de Rodrigo Areias.

No exterior, foram algumas as surpresas e novidades de relevo — a maior das quais Taylor Swift, que se aliou a Aaron Dessner, dos The National, para gravar e revelar sem grande aviso prévio um disco mais contido e menos histriónico do que os antecessores.

Destacamos também as canções sóbrias de Rufus Wainwright, o groove da soul e soul eletrónica de Lianne Le Havas, o mini-álbum de estreia do supergrupo Dinner Party (que junta Kamasi Washington, Robert Glasper, Terrace Martin e 9th Wonder), o regresso de Jarvis Cocker com a eletro-pop sofisticada do seu novo projeto Jarv Is, o rock dos Protomartyr, My Morning Jacket e Fontaines D. C. e as batidas dançantes de Jessy Lanza, entre outras escolhas. Consulte a nossa playlist com temas dos álbuns do mês de julho que vamos querer continuar a ouvir nos próximos meses: