Não será, por certo, a combinação mais expectável do mundo da música — mas para tempos de surpresa, surpresa e meia. A cantora de pop e country-pop Taylor Swift, uma das artistas mais ouvidas e populares do planeta, juntou-se aos irmãos Aaron e Bryan Dessner, elementos da aclamada banda de indie-rock The National, para gravar o seu próximo álbum — que sairá já esta sexta-feira, 24 de julho, menos de um ano depois do antecessor Lover (chegado às lojas a 23 de agosto do ano passado). A revelação foi feita esta quinta-feira.

Os universos musicais não são propriamente próximos, dado que Taylor Swift emergiu musicalmente como artista proeminentemente de pop (e, numa fase inicial da carreira, de pop juvenil) e os The National são uma banda de culto, cujo público é significativamente menos jovem e menos abrangente. E no entanto os irmãos Dessner, em especial Aaron, tiveram importância decisiva no novo álbum de Taylor Swift, que se chamará folklore.

Através de uma publicação nas redes sociais, a própria banda norte-americana que tem como vocalista Matt Berninger — que por sua vez lançará o primeiro álbum a solo a 2 de outubro — destacou a colaboração que se ouvirá no próximo álbum de Taylor Swift: “Estamos incrivelmente orgulhosos do trabalho colaborativo que a Taylor Swift e o Aaron Dessner criaram juntos no novo álbum dela, folklore, que tem orquestrações de Bryce Dessner. Mal podemos esperar para que o oiçam”.

Para Taylor Swift, até os problemas podem ser pop. E então?

Já Taylor Swift, que deu a notícia em primeira mão nas suas contas oficiais nas redes sociais, elevou as expectativas quanto ao resultado desta parceria, detalhando a importância que Aaron Dessner teve no disco e sugerindo que o álbum terá características únicas mesmo por comparação com os seus trabalhos anteriores. “A maioria das coisas que tinha planeado para este verão [n. d. r.: incluindo tocar no festival português NOS Alive] acabou por não acontecer, mas há algo que não tinha planeado que aconteceu. É o meu oitavo álbum de estúdio, folklore. Surpresa”, começou por escrever, acrescentando:

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Esta noite, à meia-noite, vou revelar na íntegra o meu novo álbum, com canções nas quais coloquei todos os meus caprichos, sonhos, medos e reflexões. Escrevi e gravei esta música em isolamento mas pude colaborar com alguns dos meus heróis musicais: Aaron Dessner (que esteve envolvido na escrita e/ou produção de 11 destas 16 canções), Bon Iver (que escreveu e foi suficientemente simpático para cantar comigo uma das canções), William Bowery (que escreveu duas canções comigo) e Jack Antonoff (que basicamente já faz parte da minha família musical nesta fase).”.

A cantora acrescenta ainda que se tivesse terminado este álbum num período anterior, nomeadamente num ano que não 2020, “provavelmente teria pensado demasiado sobre quando lançar esta música no momento que fosse ‘perfeito'”. Porém, “os tempos em que vivemos continuam a lembrar-me que nada é garantido. O meu instinto está a dizer-me que se fizeres algo que amas, deves simplesmente colocar isso no mundo. É esse lado de incerteza que me interessa. Adoro-vos muito, malta”.

30 anos de Taylor Swift, a namoradinha da música pop