Esta semana, o Wolverhampton revelou o terceiro equipamento que vai usar esta temporada. A escolha de cores, vermelho e verde, levou a própria Liga Portugal a comentar a publicação do clube inglês nas redes sociais. “Estas cores parecem familiares. Parece-me bem, armada portuguesa”, comentou a Liga, assinalando o facto de o equipamento recordar precisamente as cores da bandeira portuguesa. Alguns adeptos, em jeito de brincadeira, disseram que o clube estava finalmente a assumir que era Portugal FC — por contar nesta altura com nove jogadores portugueses, aos quais se acrescenta o treinador, Nuno Espírito Santo. Mal sabiam eles que esse contingente iria ser reduzido nos dias seguintes.

Wolverhampton e Liverpool chegaram a acordo quanto à ida de Diogo Jota para Anfield durante o atual mercado de transferências, numa contratação entretanto já confirmada pelas redes sociais dos reds. A imprensa inglesa acrescenta que os campeões ingleses vão pagar cerca de 50 milhões de euros pelo avançado português, num negócio que envolve ainda o percurso inverso de Ki-Jana Hoever, central holandês de 18 anos, que é assim reforço para Espírito Santo. Jota torna-se o segundo reforço high profile do Liverpool este verão, depois de os reds terem assegurado a contratação de Thiago Alcântara, médio espanhol que conquistou a Liga dos Campeões com o Bayern Munique no passado mês de agosto.

“É um momento realmente entusiasmante para mim e para a minha família. Com todo o meu percurso desde miúdo e agora, juntar-me a um clube como o Liverpool, os campeões do mundo, é só inacreditável. Só quero começar. É uma das melhores equipas do mundo — a melhor, neste momento, porque são campeões mundiais. Quando olhamos para a Premier League, vemos sempre o Liverpool como uma das maiores equipas do país, por isso era impossível dizer que não. Só quero vir para aqui, dar o meu melhor e tornar-me uma boa opção para o Liverpool no futuro”, disse o internacional português, que vai jogar com a camisola número 20, aos meios do clube.

Diogo Jota deixa assim o Wolverhampton depois de três temporadas em Inglaterra, sendo que a primeira foi ainda por empréstimo do Atl. Madrid e no Championship, no ano em que a equipa de Nuno Espírito Santo conseguiu alcançar a promoção à Premier League. No primeiro ano depois da subida ao principal escalão inglês, o Wolves garantiu um incrível sétimo lugar que significou a qualificação para a Liga Europa e ainda chegou às meias-finais da Taça de Inglaterra. Jota, de 23 anos, despede-se com 44 golos marcados ao longo de três temporadas e depois de não ter sido opção de Nuno Espírito Santo para o onze inicial nos dois primeiros jogos oficiais da época, na Premier League e na Taça da Liga, numa ausência que fica agora justificada.

A imprensa espanhola, por outro lado, garante que um outro português pode rumar ao Wolverhampton e substituir desde já o lugar de Diogo Joga na armada portuguesa. Segundo o Sport, o clube inglês está interessado em Nélson Semedo, atualmente no Barcelona, para substituir o lateral Matt Doherty, que saiu para o Tottenham de José Mourinho. O negócio deve chegar aos 30 milhões de euros, num investimento do Wolves que aproveita claramente o encaixe realizado com Jota. O avançado português, por sua vez, vai juntar-se a Mané, Firmino e Salah no ataque do Liverpool e fazer parte da equipa de Jürgen Klopp que quer esta temporada renovar o título de campeão inglês.