Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Foi um filme com algumas semelhanças ao que Taremi protagonizou quando trocou o Rio Ave pelo FC Porto mas em vez de dois dias acabou por durar cerca de duas semanas: Toni Martínez, avançado espanhol do Famalicão há muito apontado ao Dragão nesta janela de transferências, foi oficializado nos azuis e brancos num domingo que está a ser marcado pelas saídas (ainda não confirmadas neste caso) de Danilo, Alex Telles e Zé Luís.

Manchester United começou nos 13,2 milhões, chegou aos 20 e FC Porto cedeu: Alex Telles ruma à Premier League

Toni Martínez, avançado formado no Valencia que rumou depois a Inglaterra com passagens por West Ham e Oxford United antes de voltar a Espanha, onde jogou no Valladolid e no Lugo, é o sexto reforço confirmado pelos dragões para a presente temporada, curiosamente o quinto recrutado na Primeira Liga depois de Cláudio Ramos (Tondela), Carraça (Boavista), Zaidu (Santa Clara) e Taremi (Rio Ave) – Evanilson, o outro avançado recrutado pelos azuis e brancos este verão, foi a única exceção, chegando dos brasileiros do Fluminense.

“É uma sensação única vestir esta camisola e é um objetivo cumprido na minha carreira juntar-me ao maior clube de Portugal. Espero devolver a confiança depositada em mim dentro do campo. Estou muito feliz por estar aqui. Toda a gente conhece o FC Porto, um clube pelo qual passaram alguns dos melhores jogadores do mundo. Falcao e Jackson Martínez, dois jogadores que são referências para mim, também jogaram na Liga espanhola. Estou muito feliz por fazer parte da história do FC Porto”, salientou Toni Martínez nas primeiras declarações como reforço dos azuis e brancos, feitas às plataformas de comunicação do clube.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Sou um jogador que se adapta bem a qualquer tipo de jogo mas que principalmente pensa na baliza, em fazer golos e ajudar a equipa o máximo possível. Sou um jogador muito comprometido com a equipa”, resumiu o dianteiro espanhol de 23 anos no cartão de apresentação aos sócios do clube.

“Depois do jogo de ontem [derrota com o Marítimo por 3-2], vi toda a gente junta no campo, pois isso acontece quando se ganha e quando se perde. Isso demonstra a união do balneário e vê-se que o clube é como uma família. É uma equipa muito unida e que vai fazer grandes coisas. Mesmo com a pandemia, que tornou a época diferente, o FC Porto era o claro vencedor do Campeonato para mim. O FC Porto tinha uma equipa muito forte e, felizmente, ganhou a Liga e a Taça de Portugal. Os objetivos para esta época são os mesmos”, acrescentou.

Após ter feito dez golos e seis assistências em 32 jogos do último Campeonato (14 golos em 39 partidas oficiais), Toni Martínez ainda defrontou o Benfica na primeira jornada de 2020/21 mas saiu depois das opções de João Pedro Sousa, antevendo-se a partir daí a saída do Famalicão. Nenhuma das partes falou em valores do negócio, que colocou o espanhol ligado ao FC Porto por cinco temporadas, mas o acordo terá fica fechado por um montante total de 3,5 milhões de euros, ficando os famalicenses com uma percentagem dos direitos económicos.

Danilo está certo no PSG num acordo fechado esta madrugada, João Mário não é hipótese – e ainda pode reforçar Sporting

O mercado está prestes a fechar e o PSG, que praticamente saltou da final da Liga dos Campeões para o início da nova temporada sem qualquer contratação a não ser a opção de compra exercida sobre Mauro Icardi e Sergio Rico (além da contratação por empréstimo do lateral italiano Florenzi, à Roma), apressa-se para fazer um “dois em um” com apenas um jogador português à mistura (e não dois): além do jovem avançado italiano Moise Kean, a grande surpresa deste domingo, Danilo Pereira está a caminho do campeão francês. Já João Mário não é uma hipótese para o conjunto de Thomas Tuchel, ao contrário do que foi avançado esta manhã pelo L’Équipe.

RMC Sport avançou que Danilo Pereira, capitão do FC Porto de 29 anos, vai também seguir para Paris nas próximas horas, neste caso num acordo feito na última madrugada que prevê a cedência temporária por uma temporada com opção de compra obrigatória. Os exames médicos serão realizados ainda hoje. Segundo adiantaram ao Observador, que confirmou essa informação, o médio deverá render 20 milhões de euros aos azuis e brancos, valor que pode chegar aos 25 mediante objetivos desportivos. De referir que o internacional já tinha estado muito próximo de rumar à Ligue 1 mas para o Mónaco, na última época, altura em que a proposta colocada em cima da mesa foi de 30 milhões de euros – os dragões não confirmaram em 2019 esse valor mas, em comunicado, assumiram que tinham recusado a oferta dos monegascos por consideraram o médio intransferível. O empresário português Jorge Mendes foi também intermediário em mais uma saída do plantel azul e branco.

Em relação a João Mário, que chegou a ser apontado ao PSG mas há duas temporadas, continua com o futuro por definir – e o Sporting ainda sonha contar com o médio este mercado. De acordo com o que o Observador apurou, além das abordagens de clubes russos e turcos, o internacional português recusou propostas do Valladolid e do Fenerbahçe. Assim, e por não entrar nas contas do Inter, o seu futuro continua em aberto, sendo que os leões, sabendo que não têm as condições de outros para resgatar o jogador formado na Academia, continuam num jogo de paciência para assegurar o médio para o lugar de Wendel, a caminho do Zenit por 20 milhões de euros. Nesta fase, a cerca de 48 horas do fecho do mercado, João Mário recebeu sondagens de três clubes da Premier League, dois da Liga espanhola e dois franceses, além de um conjunto da Serie A que oficializou mesmo uma oferta.

De acrescentar que o PSG já tinha estado em destaque este domingo (além de Edison Cavani, uruguaio que estará a caminho do Manchester United) mas por outra contratação surpresa, também ela por empréstimo: Moise Kean, jovem avançado formado pela Juventus que estava desde o ano passado no Everton, não faz parte das contas de Carlo Ancelotti no atual líder da Premier League (quatro vitórias noutros tantos jogos) e deverá reforçar o campeão francês, que em relação à última temporada de 2019/20 tinha perdido apenas… Cavani.

Manchester United começou nos 13,2 milhões, chegou aos 20 e FC Porto cedeu: Alex Telles ruma à Premier League

Primeiro Danilo, depois Zé Luís, agora Alex Telles. Após várias negociações ao longo da madrugada, o FC Porto continuou a resolver todos os assuntos pendentes em relação ao plantel e agora é a vez do lateral esquerdo, que está a caminho do Manchester United após uma última ronda de negociações que colocou as duas partes mais próximas de um valor que ficará nos 20 milhões, acima do que os ingleses davam mas abaixo do que os dragões queriam.

No final da temporada, até talvez antes da pandemia, o FC Porto sempre acreditou que seria possível receber os 40 milhões de euros da cláusula do internacional brasileiro, que fez a melhor temporada desde que chegou ao Dragão em 2016 por 6,5 milhões de euros. No entanto, admitiu baixar a fasquia para 25 milhões com uma grande justificação pelo meio: o facto de acabar contrato no final da presente temporada de 2020/21. E porquê? O Barcelona saiu da corrida depois das alterações feitas com a entrada de Koeman, o Chelsea apostou em Ben Chilwell e o PSG só voltou a ser hipótese após a lesão com gravidade de Bernat, o titular na equipa de Tuchel.

Havia o Manchester United, que assumidamente procurava um lateral esquerdo para discutir o lugar com Luke Shaw. No entanto, e um pouco à semelhança do que aconteceu com as negociações por Bruno Fernandes quando estava no Sporting, a fasquia começou baixa. Ou demasiado baixa. Se 12 milhões de libras (13,2 milhões de euros) não convenceram os responsáveis azuis e brancos, a ligeira subida no valor que se seguiu também nada adiantou. Todavia, e com o mercado a fechar, o negócio acabou mesmo por ser desbloqueado com o empresário Pini Zahavi pelo meio, ficando por um valor a rondar os 20 milhões e que deverá ter ainda uma parte por objetivos, acima daquela que teria sido a oferta final de 17 milhões que os red devils tinham colocado em cima da mesa.

Com Zaidu contratado ao Santa Clara, os dragões ficam assim com apenas um lateral esquerdo de raiz tal como na época transata, onde Wilson Manafá chegou a fazer a posição. Rúben Vinagre, defesa internacional Sub-21 do Wolverhampton, ainda chegou a ser apontado ao Dragão mas está a caminho dos gregos do Olympiacos, equipa comandada pelo português Pedro Martins que está no grupo dos azuis e brancos na Liga dos Campeões.

Alex Telles, a figura com uma atração pelo golo que nunca foi lateral