A ligação fluvial entre o Seixal, no distrito de Setúbal, e o Cais do Sodré, em Lisboa, será retomada em 14 de dezembro, após 49 dias suspensa devido a obras, foi esta sexta-feira anunciado.

Concluída a intervenção marítima — dragagem, colocação de novas estacas e substituição do pontão de embarque/desembarque — a 13 de dezembro, passam a estar garantidas as condições necessárias ao restabelecimento da operação regular”, avança a Transtejo/Soflusa em comunicado.

A Transtejo recorda que a obra na estação do Seixal não é “compatível com a operação fluvial”, o que levou a empresa a “suspender a atracação de navios pelo período total de 49 dias, mais quatro dias do que o inicialmente previsto” devido a “questões técnicas”.

“Com um investimento global de 425.000 euros, a intervenção assegura a melhoria das condições do terminal fluvial do Seixal — ligação fluvial que tem registado, recentemente, um número de passageiros aquém do desejável — contribuindo para promover o aumento do uso do transporte público e uma mobilidade mais sustentável”, destaca a nota.

A Transtejo informou em 22 de outubro que a ligação fluvial entre o Seixal e Lisboa iria ser suspensa por 45 dias, devido a obras de melhoramento. A empresa indicou que seria assegurado transporte rodoviário até ao terminal de Almada, mas utentes e autarquia consideraram na altura a solução pouco prática.

Em 29 de outubro, o presidente da Câmara do Seixal, Joaquim Santos (CDU), enviou um ofício ao Governo a pedir a colocação de um pontão flutuante e passadiço de embarque no antigo terminal fluvial, de modo a retomar a ligação com Lisboa.

Esta alternativa permitiria à população do concelho continuar a usufruir do transporte fluvial e mitigaria os impactos da interrupção abrupta do serviço prestado no atual Terminal Fluvial do Seixal”, disse na altura o autarca, citado em comunicado.

A Transtejo assegura as ligações fluviais entre o Seixal, Montijo, Cacilhas e Trafaria/Porto Brandão, no distrito de Setúbal, e Lisboa, enquanto a Soflusa é responsável por ligar o Barreiro à capital.