Os portugueses estão esta terça-feira mais preocupados com o ambiente do que há 10 anos, indica um inquérito realizado pela Marktest em colaboração com a Sociedade Ponto Verde, segundo o qual nove em cada 10 inquiridos reciclam embalagens.

O relatório “Radar da Reciclagem” mostra que este é o comportamento mais comum dos cidadãos em prol do ambiente, seguindo-se a redução do consumo de plástico, uma prática referida por 25% dos inquiridos da geração nascida entre 1999 e 2005 e por apenas 8% da geração de 1955 a 1962.

Os principais motivos que levam os portugueses a separar embalagens são a “forte consciência ambiental” (79,1%), o civismo (72,2%) e o reaproveitamento dos resíduos em novos produtos (54,4%).

Além da falta de hábito, indicada por 48% dos que não recicla, a principal razão apontada foi não terem ecoponto perto de casa (42,8%).

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

A falta de espaço e não acreditarem que os resíduos são efetivamente reciclados são também dois dos fatores mais referidos (27% e 26,3% respetivamente).

Quando questionados sobre o que pode ser feito para que os portugueses reciclem mais, 67,2% referiu incentivos aos cidadãos por fazerem separação de resíduos, enquanto e 59,8% apontou melhorias nos equipamentos de separação no exterior/pontos de recolha.

“Apenas 37,2% acredita que a solução são penalizações para os cidadãos que não fazem separação de resíduos”, refere o documento.

O inquérito mostrou ainda que 89% dos inquiridos está mais preocupado com os problemas ambientais do que há 10 anos.

“Num registo totalmente espontâneo, os portugueses identificaram três grandes problemas ambientais que os preocupam: poluição, proteção marinha e aquecimento global”, segundo os autores do estudo.

Na realização do inquérito foram feitas 1.004 entrevistas a residentes em Portugal continental com idades entre os 15 e os 64 anos entre 06 e 17 de novembro.