Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Há mais de um ano que a pandemia trancou grande parte da população em casa, sobretudo aquela que figura na terceira idade. Porque o corpo funciona como um todo, os cuidados com a alimentação ou com a higiene, por exemplo, devem andar de mãos dadas com uma mente saudável. O assunto ganha especial importância em tempos de crise sanitária, mas foi por acaso que o livro “Mente Ativa, Corpo Feliz”, da Pactor, chegou ao mercado nesta fase. Há dois anos que estava a ser pensado pelas quatro autoras que o assinam — Humbertina Maia, Margarida Sobral, Ana Gonzaga e Teresa Santos, duas psicólogas clínicas e duas terapeutas ocupacionais, respetivamente, que trabalham no Hospital de Magalhães Lemos, no Porto.

O livro em questão é totalmente composto por exercícios que pretendem ocupar todas as semanas do ano. São um convite à distração e, acima de tudo, à estimulação cognitiva, tão importante para atrasar processos de demência. A ideia é introduzir no quotidiano dos idosos atividades de estímulo intelectual com foco nos pequenos prazeres da vida, sendo que os 52 conjuntos de exercícios — como sopas de letras, contas de somar e subtrair ou questionários de cultura geral — contemplam diferentes áreas de interesse, fazendo até referências à cultura portuguesa, às estações do ano e a festividades.

Este artigo é exclusivo para os nossos assinantes: assine agora e beneficie de leitura ilimitada e outras vantagens. Caso já seja assinante inicie aqui a sua sessão. Se pensa que esta mensagem está em erro, contacte o nosso apoio a cliente.