Este artigo é da responsabilidade de Turismo do Centro de Portugal

Aproveite as nossas dicas e leve a sua família àquele lugar que também é um pouco vosso, porque faz parte de doces memórias e momentos especiais. Aquele hotel que já conhece como as palmas das suas mãos! Aquela pousada onde se casou! Aquele alojamento local onde passou as primeiras férias! Escolha o que lhe parecer mais familiar! 

Se esta data não for conveniente, este roteiro para famílias pode ser feito e refeito em qualquer outra altura do ano. Certamente, também já terá saudades dos longos almoços de família. Se a sua família for numerosa, e não for possível reuni-la toda no mesmo espaço, propomos-lhe que procure uma experiência gastronómica “fora da caixa”, ou melhor, “fora da mesa”, só com “os seus”. Encomende o almoço de um restaurante ao vosso gosto e aproveite o areal de uma praia, o banco de um jardim ou um miradouro com vista desafogada, para desfrutar de uma refeição em família.

Oeste

Na região do Oeste, repleta de sol e bom tempo, comece por atravessar a Porta da Vila de Óbidos, e inicie a visita a esta Cidade Criativa da Literatura e uma das Sete Maravilhas de Portugal. Percorra o centro histórico, deambule pelas suas ruas, pela muralha, vislumbre as suas casas pitorescas brancas com rebordos coloridos em azul, amarelo, encarnado e cinzento e com alpendres verdejantes e floridos. Aproveite este ambiente, com vista para o Castelo, para recuar à época medieval. Não saia deste local sem antes experimentar a famosa Ginja, o travesseiro de ovos moles, as ameijoas da Lagoa de Óbidos, bem como os tradicionais pratos de peixe.

Para os amantes de pintura e jovens artistas lá de casa, visitem nas Caldas da Rainha o Museu José Malhoa, inserido na “Casa dos Barcos” no Parque D. Carlos I, também conhecido como o Museu do Naturalismo Português. Palco de grandes obras do seu patrono, uma coleção de pintura, uma coleção de esculturas do Mestre Leopoldo de Almeida, uma Secção de Cerâmica das Caldas, o núcleo de Escultura ao Ar Livre e uma Biblioteca de Arte.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Que tal uma tarde bem passada num jardim a aproveitar a companhia da sua família e da mãe natureza? Propomos-lhe o Buddha Eden Garden, um jardim particularmente diferente já que é apontado como o mais Oriental da Europa e apelidado de “Jardim da Paz”. Localizado na Quinta dos Loridos, no Bombarral, ao longo de 35 hectares pode encontrar muitos budas, obras de artes e esculturas africanas, lagos com carpas koi e ainda alguns coretos. Leve a máquina fotográfica e aproveite este passeio em família para sentir a paz de Espírito do Oeste.

Região de Leiria

Na Região de Leiria, tente absorver os verdadeiros tesouros que o património e a natureza tem para vos oferecer.

Ao chegar à Batalha, é pelo Mosteiro de Santa Maria da Vitória, um dos 4 Lugares Património Mundial do Centro, que deve iniciar uma enriquecedora visita. Terá um magnífico encontro com um Mosteiro exemplo do esplendor gótico e manuelino de Portugal. Desfrute com tempo das Capelas Imperfeitas, da Sala do Capítulo, do Claustro Real e da Capela do Fundador, deste que é também classificado como Panteão Nacional, por ser a última morada de D. João I, sua esposa D. Filipa de Lencastre e alguns dos seus filhos, conhecidos como a Ínclita Geração.

Não deixe de visitar o Centro de Interpretação da Batalha de Aljubarrota que o levará por uma viagem no tempo, com o auxílio das novas tecnologias, que permitem a reconstituição desta importante batalha, bem como, as razões que a originaram.

Após esta visita, coloque o GPS para o centro histórico de Leiria. Passando pelo coração da cidade, a Praça Rodrigues Lobo, visite a Sé e a Igreja da Misericórdia, passando pela Rua Direita. Aproveite e percorra os caminhos que vão ter às muralhas do Castelo, recentemente remodelado e que tem agora um novo ascensor (abre a partir de 22 de maio). Vale a pena conhecer a Igreja de S. Pedro e fazer o percurso da Rota d’O Crime do Padre Amaro, com início no Jardim Luís de Camões, onde o escritor Eça de Queirós se inspirou para escrever o livro que dá nome à rota.

À hora da refeição, opte por uma esplanada e pela suculenta morcela de arroz, pela friginada, o arroz de marisco ou um prato de torresmos e no final, uma deliciosa Brisa do Liz.

Região de Coimbra

Gostaríamos de o convidar a conhecer o interior da Região de Coimbra, bem no coração da Serra da Lousã. Nesta região, são encantadoras as paisagens seculares e tradições que se mantêm vivas, fruto da resiliência das suas gentes.

Escolha uma das Aldeias do Xisto da Lousã para passar este dia em família. Quase tudo o que os seus olhos alcançam é feito em xisto! Bastante pequeninas, acolhedoras e muito típicas, nesta rede de aldeias, vai certamente sentir-se em casa e impressionado com a grande biodiversidade, já que aqui também habitam veados e javalis.

Na aldeia de Cerdeira, com 300 anos de existência, encontra alojamentos locais onde pode relaxar por completo. Já que aqui está, recomendamos um momento de aprendizagem em família. Participe, por exemplo, no workshop dos brinquedos de Madeira, no de cozinha regional, no de casas de xisto, mas também no de carpintaria para famílias e no de desenho. Saiba mais aqui.

Delicie-se num almoço em família ao sabor da gastronomia tradicional da Lousã: chanfana e cabrito assado. Fique a saber que a Região de Coimbra é Capital Europeia da Gastronomia e, por isso, aqui nunca será mal servido! Se quiser sair um pouco da aldeia e ir até ao centro histórico, recomendamos-lhe o Museu do Circo, que certamente fará as delícias de pequenos e graúdos, pois conserva várias histórias e peças do mundo encantado do circo.

Faça um desvio até Miranda do Corvo, ao Parque Biológico da Serra da Lousã, onde pode apadrinhar um animal, observar aves de rapina, visitar o centro hípico, o habitat de ursos pardos, linces, lobos, raposas, javalis, mas também veados, corços, cabras entre outros animais, nomeadamente os da quinta pedagógica, brincar por entre o labirinto de árvores de fruto e o roseiral.

Mas se a sua família preferir ir ver e desfrutar do mar, a Figueira da Foz fica apenas a uma hora de distância e possui 34km de praias e a onda direita mais extensa da Europa! Aqui, o mar convida a experimentar uma aula de surf. Não tem pranchas e fatos? Não há problema. Pode alugá-los nas escolas de surf, à beira das praias e usufruir de uma bela tarde. De todos, qual será o membro da família que se aguenta mais tempo em cima da onda?

Se for viajar com crianças, ainda temos outra sugestão que lhes vai “encher as medidas”! Em Coimbra, encontra o Portugal dos Pequenitos, que reúne um conjunto de elementos importantes do nosso património, como a Universidade de Coimbra ou o Convento de Cristo, mas também um núcleo dedicado à representação dos PALOP, isto é de Macau, Índia e Timor, à escala, como o próprio nome indica, dos mais pequenitos!

Descubra também os baloiços da Região de Coimbra. Deixe-se embalar por vistas soberbas. Aproveite e visite uma loja local e leve para casa produtos regionais de alta qualidade: mel ou castanhas, não esquecendo o Licor Beirão, tão apreciado no nosso País e além-fronteiras.

Ria de Aveiro

É na região da Ria de Aveiro que a terra se encontra com o mar e se transforma em Ria. Aqui, existem estórias, sabores e tradições que se mantêm preservadas pelas suas gentes.

O desafio que lançamos é que comece esta viagem pela Praia da Costa Nova, leve fatos de banho e a vossa bicicleta, ou alugue lá, para um passeio à beira da turística marginal com vista para os Palheiros da Costa Nova, antigas casas dos pescadores bastante coloridas e às riscas. No final deste passeio, pare a bicicleta junto à praia e se o tempo for convidativo dê um mergulho. Já que esteve a queimar algumas calorias, é mais do que merecida uma deliciosa tripa de Aveiro. Registe este momento com uma selfie em frente aos palheiros!

De seguida, sempre em família, siga viagem até Ovar, Cidade-Museu do Azulejo, e passeie tranquilamente pelas ruas desta bonita cidade decorada com azulejos do séc. XIX e XX. Faça o percurso da Rua do Azulejo e, no final, usufrua da experiência de pintar um azulejo numa oficina, que poderão trazer como recordação para casa.

Não pode sair de Aveiro sem também se deliciar com a típica Lampreia à Bordalesa, servida com arroz branco seco e pão duro torrado, ou com um dos seus pratos do mar e da ria. Termine esta refeição deliciando-se com os ovos moles.

Ah! Não conte a ninguém, reserve com antecedência, e surpreenda a sua família com uma noite de sonho num dos barco-casa da Marinha da Noeirinha! Já deu conta de que a Região de Aveiro é um encanto a pé, de barco, de carro, bicicleta ou até comboio?

Viseu Dão -Lafões

Família é também sinónimo de cuidado, bem-estar e proteção, por isso, siga as nossas sugestões e encontre na região de Viseu Dão- Lafões motivos vários para viver a vida em plena harmonia, e ao mesmo tempo, contemplar o património natural e cultural, aqui tão bem preservado.

Seja bem-vindo ao Museu do Caramulo, localizado em Tondela. Conta com um espólio de cerca de 100 automóveis, motos e velocípedes, desde veículos de alta competição a veículos da Segunda Guerra Mundial e até carros presidenciais. Para além dos carros, pode também visitar a exposição permanente de brinquedos antigos e miniaturas de coleção, uma coleção de Arte Antiga e ainda uma coleção de Arte Moderna e Contemporânea, onde encontra obras de Picasso, Dalí e Vieira da Silva. Um verdadeiro encanto para todas as gerações.

Escolha um restaurante típico da região. Peça uma vitela de Lafões ou então o famosíssimo Rancho à Moda de Viseu, acompanhado de um excelente vinho do Dão (não se esqueça que ainda tem uma viagem por fazer) e de sobremesa, um Viriato ou então, as Rotundinhas de Viseu.

De tarde, já bem reconfortado e com forças retemperadas, continue viagem pedalando pelos 49km da antiga linha férrea, na ecopista do Dão, a maior de Portugal, cujo caminho também se faz bem a pé e onde pode desfrutar da fauna e flora e da agradável vista para a Serra da Estrela e Serra do Caramulo.

Termine este dia em cheio em Viseu, com uma visita a pé ao Centro Histórico desta cidade. Siga, a partir da praça do Adro da Sé, e conheça a Catedral, o Passeio dos Cónegos que liga a Catedral à antiga Torre de Menagem, e junto à Igreja da Misericórdia não deixe passar uma visita ao Museu Nacional Grão-Vasco. É aqui que encontra pinturas de Vasco Fernandes, objetos e suportes figurativos de práticas litúrgicas, peças de arqueologia, de pintura portuguesa, de faiança, de ourivesaria, de porcelana oriental e de mobiliário. A não perder!

Serra da Estrela

A região da Serra da Estrela representa a memória viva dos nossos antepassados e no seu teto nevado e estrelado, a natureza mantém-se autêntica e bem preservada.

Parta à descoberta desta região pelas suas idílicas estradas, que o levarão até ao ponto mais alto de Portugal Continental: a Torre, na Serra da Estrela. Mesmo não havendo neve, suba até ao seu cimo, a 1993 metros de altitude e desfrute do ar puro e das paisagens a perder de vista. No Parque Natural da Serra da Estrela, ao longo da sua extensa área de 88 850 hectares, que o tornam na maior área protegida de Portugal, existem vários pontos turísticos que deve conhecer, de preferência através dos seus trilhos!

“Perca-se” pelos rochedos como a “Cabeça da Velha”, covões como o Covão D’Ametade e o Covão do Boi, onde se encontra o enigmático Altar de Nossa Senhora da Boa Estrela. Visite também a Cascata do Poço do Inferno, lagoas de origem glaciar como a Lagoa Comprida e a Lagoa do Vale do Rossim. Ao longo do percurso, poderá cruzar-se com rebanhos de ovelhas guardados pelos famosos cães Serra da Estrela.

Durante a viagem por estes caminhos, certamente ficará com fome. O melhor é fazer uma paragem à mesa de um restaurante para provar um saboroso borrego assado, os afamados queijos, vários tipos de pão regional e enchidos da serra.

À tarde, em família, faça uma visita guiada pelo Museu do Pão, em Seia, que preserva os objetos e o património do pão português. No final da visita, os mais jovens são convidados a realizar trabalhos em massa de pão que fica de recordação e que podem levar para casa!

Está bem perto do Museu dos Descobrimentos, em Belmonte. Visite-o! Este museu conta os detalhes históricos da epopeia de Pedro Álvares Cabral, da chegada dos portugueses ao Brasil, e ainda da colonização.

Para pernoitar, aposte num conceito diferente na Serra da Gardunha, Fundão. Experimente o glamping em Domos Geodésicos, com uma vista de cortar a respiração para a Cova da Beira, Serra da Estrela e à noite, para o céu estrelado.

Beira Baixa

Pela Beira Baixa, região de monumentais encantos, de tradições seculares e saberes ancestrais, deve começar com um passeio de barco em Vila Velha de Ródão.

Vá até ao cais fluvial e usufrua de um passeio pelo meio de paisagens estonteantes que vão ter ao monumento natural das Portas de Ródão, passando também pelas colónias de grifos, por abutres e cegonhas, pelo Conhal do Arneiro (Alentejo) e a barragem de Cedillo (Espanha). No final da viagem, é hora de petiscar as iguarias da região, e pode fazê-lo a bordo do mesmo barco que o levou a passear.

Depois do almoço, o dia convida a um passeio por Castelo Branco. Comece pela subida, um pouco íngreme, mas muito proveitosa, ao Miradouro de São Gens, perto das ruínas do antigo Castelo Templário de Castelo Branco, que também merece uma visita, pois daí obtêm uma visão periférica sobre a zona histórica das casas antigas com Portados Quinhentistas. Não dê esta visita por terminada, sem antes entrar numa loja de comércio local e levar de lembrança um Bordado de Castelo Branco e um queijo da Beira Baixa, um dos mais apreciados e tradicionais queijos do País.

Não dispense uma visita ao Museu Cargaleiro que conta com o espólio da coleção privada de Manuel Cargaleiro, exemplares de faiança nacional: Cerâmica Ratinha e Cerâmica de Triana, mas também uma parte dedicada à vida e obra do Mestre.

As crianças vão adorar conhecer o Geopark Naturtejo, no Parque  Icnológico de Penha Garcia, onde podem encarnar a personagem de exploradores e observar vestígios arqueológicos com mais de 480 milhões de anos, do património geomorfológico, geológico, paleontológico, e geomineiro do Paleolítico, em cerca de 17 geomonumentos, como o das Portas de Ródão.

Termine este dia em cheio, com um desvio por Oleiros. Visite as Cascatas da Fraga de Água d’Alta, uma sucessão de 3 cascatas com quedas de água de cerca de 50 metros, o geomonumento da Garganta do Zêzere, e os Meandros do Zêzere, a partir da Aldeia de Xisto de Álvaro.

Médio Tejo

Acompanhe-nos pela região do Médio Tejo, terra de encontros entre o passado e o futuro.

Inicie a sua viagem em Constância, no Parque Ambiental de Santa Margarida. Parta à descoberta de mais de 50 mil borboletas no Borboletário Tropical, que simula as condições climáticas necessárias para estes insetos tropicais e que pretende alertar para a importância da conservação da biodiversidade.

O Castelo de Almourol, um dos monumentos mais característicos da região, plantado no alto de uma ilha, à beira do rio Tejo no concelho de Vila Nova da Barquinha, deslumbra todos os que o procuram. Carregado de história, este pequeno castelo datado de 1171 com acesso apenas de barco, exige que suba à Torre, para que possa descobrir o seu passado na Ordem dos Templários e contemplar o rio que o banha. Para ficar a conhecê-lo melhor, faça também uma visita ao Centro de Interpretação Templário, que conta com exposições, projeções de filmes sobre os templários e uma biblioteca dedicada ao tema. Saiba mais aqui.

Depois do passeio por Constância e Vila Nova da Barquinha, recomendamos que rume a Tomar. De visita obrigatória, antes ou depois de passear pela baixa da cidade, é o Convento de Cristo, em Tomar, um dos 4 Lugares Património Mundial do Centro, a sua janela Manuelina e o Claustro de D. João III devem ser apreciados com calma para usufruir da sua beleza arquitetónica. Os Templários escolheram Tomar para sede da sua ordem em Portugal. Este monumento misterioso leva-nos a uma visita prolongada à charola, atualmente a mais bem preservada da Europa. Aproveitem e conheçam os seus jardins. Já que aqui estão não se se esqueçam de provar os doces conventuais: “Fatias de Tomar” ou os “Beija-me Depressa”.

Aceite o nosso convite e venha descobrir o Centro de Portugal em família! Aqui, entre nós, encontra história, património, paisagens, museus, alojamentos, restaurantes, aventuras, parques, praias entre muitas outras razões, que tornarão este dia simplesmente memorável!

Continuem a viajar connosco por estes e outros destinos. O Centro de Portugal continua aqui, à vossa espera. Feliz Dia Internacional da Família!

Saiba mais sobre este projeto em 
https://observador.pt/seccao/centro-de-portugal/