Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Para a esmagadora maioria, os típicos fãs de videojogos, especialmente os simuladores de condução, não incluem idosos com 93 anos a necessitar de assistência respiratória de oxigénio e cujas limitações de mobilidade os levam a já não ter autorização para conduzir na via pública. Daí a surpresa em ver a dedicação com que este japonês se entrega ao mundo das corridas virtuais que, entre outras vantagens, lhe permite voltar a conduzir um Mazda RX7 similar ao que utilizou nos anos 90.

O conjunto de vídeos publicados nas redes sociais prova que o japonês se diverte mais do que seria suposto com um jogo concebido a pensar nos seus netos (ou bisnetos), perfeitamente em linha com as conclusões de um estudo publicado em 2019, levado a cabo pela Associação Americana de Pessoas Reformadas. Anuncia esta entidade que 47% dos idosos admite possuir uma consola, ou qualquer outro tipo de plataforma que permite jogar, dedicando-se a essa actividade diariamente.

O estudo permitiu ainda concluir que os jogos de computador ajudam a incrementar as relações sociais entre pessoas de idade mais avançada, além de os tornar mais ágeis mentalmente e reduzir o stress.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR