O teste positivo de Sergio Busquets, este domingo, lançou o alerta: apenas dois dias depois de ter jogado contra o médio do Barcelona no particular com Espanha, a Seleção Nacional corria o risco de ter casos de Covid-19 e dificultar assim a participação no Euro 2020. De forma natural, a Federação testou toda a comitiva portuguesa que esteve em Madrid e respirou de alívio esta segunda-feira — todos os jogadores, elementos da equipa técnica ou do staff da Seleção testaram negativo.

Em Espanha, e com a surpresa gerada pelo teste positivo de Busquets, a situação está mais preocupante. A seleção espanhola tinha marcado um jogo particular com a Lituânia para esta terça-feira, o último de preparação para o Europeu, mas já anunciou entretanto que serão os Sub-21 a entrar em campo. Os jogadores convocados por Luis Enrique para o Euro 2020 vão manter-se em isolamento, para tentar evitar maiores riscos de contágio, sendo que Busquets abandonou a concentração num veículo médico e dirigiu-se a Barcelona.

Sergio Busquets acusa positivo para o novo coronavírus e fica de fora do Euro2020

Ainda assim, não é totalmente certo que o médio de 32 anos não vai conseguir integrar a comitiva espanhola no Europeu. Busquets beneficia não só do facto de Espanha só jogar na segunda-feira, dia 14 e contra a Suécia, mas também de disputar os três encontros da fase de grupos em Sevilha — ou seja, não existe a pressão e a obrigatoriedade de um teste positivo antecipadamente para viajar. Contudo, e de forma natural, Luis Enrique já prepara a eventualidade de ter de substituir o experiente jogador e a imprensa espanhola garante que as opções estão nos Sub-21: onde Martín Zubimendi, médio da Real Sociedad, e Alejandro Pozo, lateral direito do Eibar, parecem ser os favoritos. Sergio Ramos, que é a grande ausência de Espanha no Euro 2020, deve continuar de fora das escolhas do selecionador.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Por agora e sem caráter definitivo, Luis Enrique encontrou soluções para os treinos. Brais Méndez, do Celta Vigo, Rodrigo Moreno, ex-Benfica agora no Leeds, Pablo Fornals, do West Ham, e Carlos Soler, do Valencia, foram todos chamados à concentração espanhola — mas, de acordo com o AS, apenas para participar nos treinos e não para estar no Europeu. Espanha regressou aos trabalhos durante a tarde desta segunda-feira mas por grupos, através de blocos de oito jogadores que realizaram a sessão de forma separada em dois relvados distintos. Este isolamento por bolhas vai durar até quinta ou sexta-feira, altura em que Luis Enrique, na eventualidade de não surgir mesmo um surto e de o positivo de Busquets ser um caso isolado, espera poder regressar aos treinos com o grupo inteiro. Entretanto, a Federação espanhola também já recebeu luz verde por parte do governo de Pedro Sánchez e todos os elementos da comitiva da seleção irão ser vacinados já esta terça-feira.

Ainda assim, e apesar de parecer já ter escolhido o eventual substituto de Busquets, o selecionador espanhol foi recordado por um colega de profissão de que foi exatamente por casos como este que a UEFA alargou as convocatórias dos habituais 23 para 26 jogadores — algo que Luis Enrique não aproveitou, chamando apenas 24. “É uma grande mensagem para toda a sociedade, temos de ter muito cuidado. O vírus ainda anda lá fora. Temos trabalhado desta forma desde março de 2020, é a nova realidade. Não podemos simplesmente queixar-nos da situação, é o que há”, disse Roberto Martínez, treinador espanhol que é o selecionador da Bélgica.