Os acionistas da Mota-Engil elegem esta quarta-feira, em assembleia-geral, os membros do Conselho de Administração para o triénio 2021-2023, órgão que deverá passar a integrar 14 elementos, menos seis do que atualmente.

De acordo com a informação remetida à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), são propostos para o Conselho de Administração António da Mota (atual presidente), Wang Jingchun, Gonçalo Martins, Carlos Mota dos Santos, Wang Xiangrong, Manuel Vasconcelos da Mota, Xiao Di, Maria Paula Mota de Meireles, Ping Ping, Tian Feng, Ana Paula Ribeiro, Francisco Seixas da Costa, Helena Pinto e Isabel Vaz.

Neste sentido, vai ser votada uma proposta que prevê a fixação em 14 do número de membros deste órgão social, que, atualmente, contém 20 elementos.

Em cima da mesa vão estar também as contas da empresa e a proposta de aplicação dos resultados de 2020, que prevê que o prejuízo de 2020, no montante de 28.100.076,99 euros, seja transferido para a rubrica resultados transitados.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Na reunião, os acionistas vão também deliberar sobre o relatório das práticas do governo societário, a política de remunerações, bem como proceder à apreciação da administração.

Por fim, vão discutir e deliberar sobre a contratação de “um ou mais empréstimos, sob a forma de papel comercial, em euros ou noutra divisa” e sobre a compra e venda de ações e obrigações próprias.