O anúncio foi feito esta segunda-feira pela editora Random House, que promete lançar um conjunto de memórias num registo “intimista e sincero”. O príncipe Harry mostra-se assim pronto para abrir o livro da sua vida, naquela que é, segundo o próprio, uma obra com um cunho muito pessoal. “Escrevo isto não enquanto príncipe que nasci mas enquanto homem em que me tornei”, descreveu em comunicado o duque de Sussex, abordando o projeto editorial que deverá chegar ao mercado até ao final de 2022.

“Desempenhei muitas funções nos últimos anos, literal e figurativamente, e a minha esperança é poder contar a minha história, os altos e baixos, as lições que aprendi — posso ajudar a mostrar que independentemente de onde vimos, temos mais em comum do que pensei. Estou profundamente grato pela oportunidade de partilhar o que aprendi ao longo da minha vida até agora e entusiasmado que as pessoas possam ler um testemunho rigoroso e totalmente verdadeiro”, continua o marido de Meghan Markle, que naturalmente não ficará de fora do alinhamento da obra.

A editora partilhou a notícia da obra nas suas redes sociais

Segundo The Hollywood Reporter, Harry debruçar-se-á sobre a sua vida sob os holofotes, para uma viagem com partida na infância e chegada aos dias de hoje, e passará por etapas como o serviço militar, ou o papel de marido e pai de dois filhos, Archie Harrison Mountbatten-Windsor e Lilibet “Lili” Diana Mountbatten-Windsor, nascida em junho.

O mesmo meio avança que os lucros gerados pelas vendas do livro serão doados e que além da obra em papel será lançada uma versão audio book. “Na Penguin Random House estamos muito entusiasmados por publicar as memórias do príncipe Harry e por vê-lo juntar-se ao grupo de líderes, ícones e figuras transformadoras que temos tido o privilégio de editar ao longo dos anos“, apontou o CEO do grupo editorial Markus Dohle. “O príncipe Harry aproveitou a sua extraordinária experiência de vida como príncipe, soldado e um experiente defensor de questões sociais, estabelecendo-se como um líder global reconhecido pela sua coragem e abertura. É por essa razão que estamos entusiasmados por publicar a sua história honesta e comovente”, acrescentou.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

EUA, Canadá e Reino Unido são os três primeiros mercados já garantidos para o lançamento da obra, que surge no rescaldo da polémica entrevista a Oprah Winfrey e da série documental sobre saúde mental para a Apple TV+, em que o príncipe se juntou à apresentadora. Estima-se que muito em breve sejam anunciados outros países sendo que, para já, é certo que se esperam as devidas ondas de choque em solo britânico. Afinal de contas, lembra o The Telegraph, é a primeira vez que um membro sénior da família real britânica se envolve na escrita de semelhante projeto, com um caráter tão pessoal. Segundo o jornal, Buckingham recusou, pelo menos para já, comentar a notícia, desconhecendo-se de igual forma se a rainha Isabel II, ou outros elementos sénior do clã, terão sido previamente informados sobre este passo de Harry.

O The Telegraph adianta ainda que Harry, que contará para este livro com o contributo do ghostwriter JR Moehringer, jornalista e romancista norte-americano vencedor de um Pulitzer, terá começado a dedicar-se a esta obra há cerca de um ano, desde que o casal anunciou a sua decisão de permanecer nos EUA.