O concurso público de conceção-construção de acessos e da nova ponte rodoviária sobre o Douro, que vai ligar o Porto e Vila Nova de Gaia, tem sete candidatos, anunciou esta quarta-feira a Câmara Municipal de Gaia.

“De seguida, irá decorrer a respetiva análise do júri, a fim de selecionar os candidatos que cumpram com os requisitos técnicos e financeiros estabelecidos no concurso”, adiantou esta autarquia do distrito do Porto, em comunicado.

O município recorda que este é “um Concurso Limitado por Prévia Qualificação, cuja primeira fase do procedimento, em curso, visa a qualificação prévia dos candidatos”.

Numa segunda fase, acrescentou, os candidatos selecionados serão convidados a apresentar propostas, tendo um prazo de sete meses para o fazer.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

É ainda descrito que as propostas deverão incluir um estudo prévio da solução global da ponte que os candidatos se propõem executar, cumprindo com os requisitos técnicos e outros impostos nas peças de concurso.

Terminada a fase de concurso, que culmina com a adjudicação ao concorrente vencedor, iniciar-se-á a fase de execução contratual, a qual é composta por dois momentos: a execução de estudos e projetos, durante os primeiros 12 meses, e a execução da empreitada, nos 24 meses seguintes, acrescidos de dois meses de ensaios.

O preço base do concurso de conceção-construção é de 38,5 milhões de euros e determina um prazo máximo de execução de 1.150 dias, cujo custo da obra será totalmente assumido pelos dois municípios.

Esta nova travessia, que foi anunciada em abril de 2018 com um custo estimado de 12 milhões de euros, será construída a montante da ponte de São João (ferroviária) e a jusante da ponte do Freixo (rodoviária), ligando a zona de Quebrantões, em Oliveira do Douro, concelho de Gaia, à marginal ribeirinha do Porto, mas especificamente à Avenida Paiva Couceiro.

O nome “Ponte D. António Francisco dos Santos” foi escolhido em homenagem ao bispo da Diocese do Porto que morreu em setembro de 2017.

A travessia terá uma extensão total aproximada de 625 metros, dos quais 300 metros sobre o leito do rio Douro e os restantes 325 metros sobre terrenos de Vila Nova de Gaia. O desenho prevê um tabuleiro com duas faixas de rodagem, duas vias de circulação cada, um separador central, assim como passeios e ciclovias unidirecionais de ambos os lados.

Em Vila Nova de Gaia, o acesso à futura ponte será realizado através da construção de uma rotunda e de um novo arruamento com aproximadamente 590 metros de extensão, que por sua vez ligará à rotunda Gil Eanes.

Já do lado do Porto, os acessos à nova travessia preveem a construção de uma rotunda sobrelevada à atual avenida Paiva Couceiro, interligada a esta através de dois ramos de ligação em viaduto.