Se no ano passado o festival ainda foi assombrado pela pandemia, nesta 78.ª edição do Festival Internacional de Cinema de Veneza, que arrancou na quarta-feira, os ânimos parecem mais leves, com menos máscaras e mais sorrisos, menos distâncias e mais convidados. Neste que é um dos maiores e mais prestigiados festivais de cinema e arte do mundo, marcam presença algumas das estrelas de cinema com mais peso na indústria, bem como os filmes mais esperados da temporada. Num primeiro dia ainda tímido, Penélope Cruz deu nas vistas com um clássico Chanel, ela que é uma das musas de Pedro Almodóvar, que assina o filme de abertura do festival, “Madres Paralelas”.

De vestido rodado e acetinado, em preto e branco, Penélope Cruz mostrou-se irrepreensível, uma vez mais, na hora de desfilar pela passadeira vermelha antes da exibição do filme onde é uma das protagonistas, marcando assim a sua oitava colaboração com Almodóvar. O Chanel Couture, com laços e detalhes com penas, foi apresentado em julho pela casa de luxo, da qual a atriz é embaixadora.

Festival Internacional de Cinema de Veneza inicia 78.ª edição

Sara Sampaio foi uma das que pisou a passadeira vermelha antes de entrar na sala onde seria exibido o filme espanhol “Madres Paralelas”. A modelo chegou de barco com Barbara Palvin, Greta Ferro e Madisin Rian – uma espécie de trupe Armani, tanto nos modelitos como na maquilhagem. A portuguesa roubou as atenções na hora de desfilar com um vestido preto com joias incorporadas nas alças da Armani Privé, que já vem da coleção outono/inverno de 2008. Também Isabelle Huppert escolheu envergar um vestido de uma coleção antiga da casa italiana, neste caso de 2005.

O primeiro dia de festival ficou também marcado por duas escolhas cintilantes: as de Adriana Lima e Helen Mirren. A modelo brasileira posou ao lado do seu novo amor, André Lemmers, com um vestido Etro cai-cai vermelho Ferrari, todo ele em lantejoulas e com uma racha generosa. Já Mirren arriscou num Dolce & Gabanna verde-mar de mangas e cauda e uma bandolete a combinar.

A atriz brasileira Barbara Paz acabou por protagonizar um dos momentos mais inesperados do desfile de estrelas no primeiro dia quando pisou a passadeira com um fato preto Gucci e uma máscara de oxigénio alimentada por uma planta, colocada numa instalação às suas costas assinada pela dupla Sorelle Toledo. A atriz quis passar uma mensagem de alerta sobre a devastação da Amazónia que disse ser “o pulmão do mundo”.

Pela passadeira vermelha passaram também as sobrinhas da Princesa Diana, Lady Eliza Spencer e Lady Amelia Spencer, vestidas em Alberta Ferretti. Será nesta edição do festival que Pablo Larraín vai apresentar a sua nova biopic “Spencer”, que retrata o fim de semana em que Lady Di decidiu pôr fim ao casamento com o Príncipe Carlos – Kristen Stewart assume o papel de Diana.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR