Muita chuva, trovoada e rajadas de vento com mais de 100 quilómetros hora. O sul de França foi, esta terça-feira, fustigado pelo mau tempo. O aviso começou por ser vermelho em Gard, um dos departamentos administrativos de França, e a autarquia decidiu avançar com o fecho de escolas de ensino superior e ensino médio (liceus) na quarta-feira. Apesar de ter baixado para laranja, as autoridades deixaram os cidadãos de sobreaviso: durante a noite, a chuva vai voltar.

Duas pessoas foram dadas como desaparecidas (uma acabou por ser encontrada), outra foi atingida por um raio e teve de receber cuidados médicos e há inúmeros relatos de inundações, como mostram os vídeos que correm nas redes sociais e segundo relata a imprensa francesa.

“Nunca vi nada assim… As estradas estão cortadas, os comboios parados, vários estacionamentos e bairros da cidade estão debaixo de água”, disse o autarca da cidade de Vergèze, localizada a cerca de 20 quilómetros da capital de Gard, Nimes. “Abrimos uma sala para acolher as vítimas”, disse Pascale Fortunat-Deschamps, citado pelo jornal francês Liberation. Os estragos, disse, são numerosos.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Outra moradora contava ao mesmo jornal o que se via nas ruas de Nimes durante a tarde de terça-feira.  “Vivi as cheias de 2002 e as de 1988… E, no entanto, nunca tinha visto isso: ao fim da manhã, em Nimes, as rajadas eram tão fortes que a chuva caiu na horizontal”, contava Daphne, de 45 anos.

No terreno continuavam, ao início da noite de terça-feira, cerca de 800 bombeiros para garantir a segurança dos cidadãos.

A autoestrada A9 — que liga Nimes (Gard) e Montpellier (Hérault) — e que é muito usada por motoristas de pesados esteve cortada nos dois sentidos, praticamente desaparecida sob a água, tendo sido necessário socorrer os automobilistas com a ajuda de helicópteros. Espera-se que também o tráfego ferroviário se mantenha interrompido entre as duas cidades durante a noite.