Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

A distribuição por sorteio eletrónico dos autos do Universo Espírito Santo no Tribunal Central de Instrução Criminal (TCIC) ditou que o juiz Ivo Rosa irá liderar a fase de instrução, avança o jornal Público. Será assim este magistrado a analisar as contestações entregues pelos arguidos que discordam da acusação do Ministério Público e pretendem evitar o julgamento.

Ivo Rosa já tinha liderado a fase de instrução criminal da Operação Marquês, tendo a mesma terminado com uma decisão que foi alvo de recurso do Ministério Público e de diversos arguidos.

A notificação para a diligência foi realizada por Carlos Alexandre esta quinta-feira às 14h39m por ser este o juiz de turno no Ticão. De acordo com a mesma, a diligência realiza-se neste momento por estar “completada a transferência física, para as instalações do TCIC, de todos os volumes e apensos do NUIPC 324/14.0TELSB [o número dos autos do caso Universo Espírito Santo]”.

A acusação. Anatomia de uma associação criminosa que destruiu o Grupo Espírito Santo

Carlos Alexandre informou ainda os advogados com procuração nos autos que o sorteio será “acompanhado, presencialmente, pelo Exm.º Juiz Presidente da Comarca Dr. Artur Cordeiro.”

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Recorde-se que o Ministério Público acusou Ricardo Salgado, ex-presidente executivo do BES e administrador de várias sociedades do Grupo Espírito Santo (GES), da alegada prática de um crime de associação criminosa, 12 crimes de corrupção ativa no setor privado, 29 crimes de burla qualificada, 7 crimes de branqueamento de capitais, um crime de manipulação de mercado, seis crimes de infidelidade e nove crimes de falsificação de documento.

Ricardo Salgado acusado de 65 crimes. E quem são as outras pessoas na mira do Ministério Público

Foram ainda acusados mais 17 arguidos individuais, entre os quais José Manuel Espírito Santo e Amílcar Morais Pires (ambos ex-administradores executivos do BES), e mais sete sociedades do GES.