O bichinho da reciclagem animou a sessão da manhã, no último dia da Portugal Smart Cities Summit, durante o painel dedicado à temática dos resíduos, ambiente e sustentabilidade. Ana Loureiro, Diretora de Comunicação da EGF, expressou grande satisfação com os resultados alcançados pelo Recycle BinGo, o jogo que dá prémios a quem recicla e constitui um excelente exemplo do poder da gamificação.

A experiência de reciclagem torna-se divertida e atribui recompensas à medida que a quantidade de resíduos depositados pelos jogadores vai aumentando. Através da aplicação instalada no smartphone é possível desbloquear um conjunto de bichinhos usados para preencher os Cartões BinGo. Sempre que fizer bingo, ou seja, completar o cartão, o jogador ganha EcoMoedas que podem ser  trocadas por prémios e vouchers. Existem, atualmente, quase 51 mil ecopontos no país, integrando uma rede essencial para garantir o sucesso das iniciativas como o Recycle BinGo, que é um dos finalistas dos Portugal Digital Awards. A responsável da EGF – Environment Global Facilities anunciou também a criação de uma linha da reciclagem, com número grátis, através do qual será possível solicitar qualquer tipo de informação e requisitar serviços da EGF.

Em Guimarães, há um plano definido em três R que visa acompanhar os munícipes na sua missão de reduzir, reutilizar e reintegrar, palavras-chave para alcançar os objetivos que a União Europeia definiu até 2030. O RRRCICLO Economia Circular de Guimarães esteve em foco na apresentação de Dalila Sepúlveda, que falou do plano de separação e valorização de resíduos orgânicos que já está a ser implementado. A Chefe da Divisão de Serviços Urbanos na autarquia vimaranense apontou os exemplos de sucesso das Brigadas Verdes, formadas por voluntários nas freguesias, com apoio do município na aquisição de materiais e equipamentos.

O digital ao serviço da sustentabilidade 

Enquanto decorria este painel dedicado à reciclagem, teve lugar a entrega de prémios Digital With Purpose, no open space da Global Enabling Sustainability Initiative (GeSI). Antes da cerimónia, houve tempo para uma curta sessão, na qual João Ricardo Moreira teve oportunidade de manifestar a relevância do compromisso que as empresas estabelecem com a sustentabilidade. O administrador da NOS Comunicações salientou que “são definidas métricas que são fáceis de medir e comparar, até 2030, altura em que aqueles que não cumprirem irão ficar menos bem na fotografia”. Estas práticas de respeito pelo ambiente e pela qualidade de vida devem ser incorporadas na estratégia das empresas, o que deve ser visto como mais um investimento, capaz de proporcionar retorno a vários níveis. Até porque “quem vai punir as empresas, serão os consumidores e o mercado, que deixam de tolerar quem não defende as melhores práticas em termos de sustentabilidade ambiental e social”, referiu a propósito o gestor da NOS.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

O Secretário de Estado para a Transição Digital, André de Aragão Azevedo, destacou a subida de três posições no ranking do Digital Economy and Society Index (DESI), que resume indicadores sobre o desempenho digital da Europa e acompanha o progresso dos países da UE. Portugal está agora na 16ª posição, mas “em 2025 queremos estar entre os cinco primeiros”, referiu o governante, reconhecendo que “estamos num crescimento acelerado, mas temos de correr mais depressa que os outros”. André de Aragão Azevedo também constatou o aumento dos níveis de exigência dos consumidores, cada vez mais atentos ao mercado, “conscientes de que os produtos e serviços não são todos iguais, devendo ser responsáveis nas suas escolhas, contribuindo para uma sociedade melhor.”

Luís Neves, CEO da GeSI, reforçou que “é preciso acelerar o ritmo da transformação e assegurar as dinâmicas necessárias a um mundo mais sustentável”, a propósito da competitividade entre empresas. Os valores da ética e da responsabilidade, subjacentes à iniciativa Digital With Purpose da GeSI, devem ser transversais a todas as actividades e empresas, independentemente da sua dimensão. Todas devem introduzir, desde a raíz, as melhores práticas de sustentabilidade. É tempo de agir e concretizar os objetivos de desenvolvimento sustentável em 2030.

Ao ritmo das cidades inteligentes, a Portugal Smart Cities Summit é a cimeira que não pode perder.

Saiba mais aqui.