Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

O Conselho Nacional para a Adopção (CNA) registou em 2020 o número mais baixo de adoções desde 2015, noticiou este domingo o Público. As adoções estão a diminuir há quatro anos consecutivos e há quase metade de crianças com sentença de adotabilidade pelos tribunais do que havia em 2016.

O relatório anual do CNA, analisado pelo Público, dá conta de 180 crianças adotadas em 2020 — menos 14 do que em 2019, menos 33 do que em 2018 e menos 88 do que em 2017.

De 2016 para cá, foram 1.096 as crianças adotadas em Portugal, uma média anual de 220 adoções. São poucas tendo em conta que, no mesmo período de tempo, 3.100 menores ficaram elegíveis para serem adotadas — uma média anual de 620, quase três vezes menos do que as que foram efetivamente adotadas.

Das 180 crianças adotadas ao longo do ano passado, 11 viram o processo interrompido, acrescenta o Público. A maioria tinha entre nove e 12 anos.

O relatório explica que, nos casos em que as crianças já moravam com as novas famílias, a interrupção chegou a acontecer passado apenas uma semana, mas que em alguns já se tinha ultrapassado  o tempo definido por lei. Não relata as circunstância em que a devolução à guarda do Estado ocorreu.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR