Momentos-chave
Histórico de atualizações
  • Bom dia.

    Este liveblog termina aqui. A partir de agora pode continuar a acompanhar todas as notícias relativas à pandemia de Covid-19 neste novo liveblog do Observador, que abre com a referência aos novos protestos marcados para este domingo e com uma entrevista de Salvador Mello à Antena 1 sobre a relação do Estado com os privados na prestação de cuidados de saúde a doentes infetados pelo novo coronavírus.

    Nova manifestação marcada este domingo em Lisboa contra as medidas de restrição para a Covid-19

  • Covid-19. Internamentos em França podem estar com tendência de diminuição

    Redução no número de internados (32.468) em França pode ser interpretada como um efeito do confinamento em vigor desde 30 de outubro, noticia a EFE. Morreram nos hospitais mais 359 pessoas.

    Covid-19. Internamentos em França podem estar com tendência de diminuição

  • Covid-19. Madeira regista 12 novos casos positivos e mais 32 doentes recuperados

    Dos novos infetados, um veio da região Centro do continente e 11 são de transmissão local, associados a situações identificadas anteriormente no arquipélago. Há quatro internados com Covid-19.

    Covid-19. Madeira regista 12 novos casos positivos e mais 32 doentes recuperados

  • Covid-19. Em dia de novas regras, a ASAE instarou oito processos de contraordenação em centros comerciais

    Principais infrações detetadas pela ASAE foram o incumprimento das regras de lotação, de ocupação, de permanência e de distanciamento físico em estabelecimentos comerciais.

    Covid-19. Em dia de novas regras, a ASAE instarou oito processos de contraordenação em centros comerciais

  • Sobe para sete o número de mortos no lar do Pego, em Abrantes

    O lar de Abrantes registou até este sábado 80 pessoas infetadas e o surto já provocou a morte de sete utentes, em duas novas mortes confirmadas este sábado.

    Sobe para sete o número de mortos no lar do Pego, em Abrantes

  • Brasil registou 921 mortes e 38.307 novos casos em 24 horas

    Brasil já teve um total de 5,8 milhões de contágios e soma já 165.658 óbitos por Covid-19. Segundo o governo 5,2 milhões de pessoas já recuperou da doença.

    Brasil registou 921 mortes e 38.307 novos casos em 24 horas

  • Hospital de São João esgotou a capacidade de resposta a doentes que precisem de ECMO

    Centro Hospitalar de São João tem tido mais solicitações do que capacidade de resposta para a técnica que ‘substitui’ o coração e os pulmões. Doentes estão a ser transferidos para Lisboa.

    Hospital de São João esgotou a capacidade de resposta a doentes que precisem de ECMO

  • Promotores de Espetáculos marcam protesto para 21 de novembro no Campo Pequeno em Lisboa

    Depois do setor da restauração este sábado, no próximo é a vez da associação de promotores de espetáculos. O encontro foi marcado para o Campo Pequeno.

    Promotores de Espetáculos marcam protesto para 21 de novembro no Campo Pequeno em Lisboa

  • Imigrantes guineenses distribuem milhares de máscaras e desinfetantes na Grande Lisboa

    Este sábado foram distribuídas 2.200 máscaras e 150 tubos de desinfetante em estações de metro e de comboios. Iniciativa para sensibilizar a população decorre até 31 de dezembro.

    Imigrantes guineenses distribuem milhares de máscaras e desinfetantes na Grande Lisboa

  • Covid-19. PAN quer Câmara do Porto a apoiar restaurantes com perdas superiores a 25%

    O PAN propõe um novo apoio extraordinário a fundo perdido, entre os quatro mil e dez mil euros, para os restaurantes do Porto com perdas de faturação acima dos 25%.

    Covid-19. PAN quer Câmara do Porto a apoiar restaurantes com perdas superiores a 25%

  • Áustria volta ao confinamento geral na terça-feira até 6 de dezembro

    A Áustria vai voltar ao confinamento geral na próxima terça-feira, anunciou o chanceler austríaco, Sebastian Kurz, numa conferência de imprensa, este sábado.

    Segundo a Reuters, as lojas não essenciais e as escolas vão encerrar. Já o teletrabalho deve ser adotado sempre que possível. Mas há exceções para sair de casa: por exemplo, para comprar bens essenciais ou para fazer exercício físico.

    O novo confinamento, o segundo no país durante a pandemia, vai prolongar-se durante quase três semanas, até 6 de dezembro. Em vigor estava já o recolher obrigatório das 20h00 às 6h00.

    “A verdade é que as autoridades já não conseguem rastrear 77% das infeções, o que significa que já não sabem onde ocorreram estas infeções”, disse Sebastian Kurz.

  • Covid-19. Forças Armadas realizaram ações de sensibilização em 917 lares do país

    Ações de sensibilização abrangeram 12.093 funcionários de lares e tiveram como tema as medidas preventivas da propagação da Covid-19, como “práticas de higienização e limpeza”.

    Covid-19. Forças Armadas realizaram ações de sensibilização em 917 lares do país

  • Covid-19. Morreu uma idosa ligada ao surto do lar da Misericórdia de Portalegre

    Misericórdia de Portalegre informou este sábado que surto naquele lar já infectou 70 utentes e 20 funcionários. “Níveis de apreensão são altos”, refere a instituição.

    Covid-19. Morreu uma idosa ligada ao surto do lar da Misericórdia de Portalegre

  • Covid-19. Açores com 19 novos casos e total de 173 positivos ativos

    Nas últimas 24 horas, o arquipélago fez 1.641 análises, através das quais foram diagnosticados 19 casos positivos: 14 na ilha de São Miguel, quatro na ilha Terceira e um na ilha do Faial.

    Covid-19. Açores com 19 novos casos e total de 173 positivos ativos

  • Ameaças de agressões à equipa do Observador na manif do Rossio

    Uma dezena de manifestantes tentou cercar uma equipa da Rádio Observador no protesto do Rossio, depois de um dos oradores ter criticado uma notícia do site. A PSP teve de intervir.

    Ameaças de agressões à equipa do Observador na manif do Rossio

  • Itália com mais 544 mortos (o quinto pior dia desde meados de abril) e 37.255 infeções

    Em Itália, nas últimas 24 horas, foram identificadas mais 37.255 infeções (no dia anterior tinham sido 40.896) por Covid-19 e 544 mortes (na sexta-feira tinham sido 550). O número de mortes diário é o quinto pior desde meados de abril.

    Ao todo, desde o início da pandemia, já foram registadas 1.144.551 infeções no país e 44.683 óbitos.

    A pressão nos hospitais está a aumentar, com 34.704 pacientes internados (mais 560 do que na sexta-feira) e 3.306 em unidades de cuidados intensivos (mais 76). As regiões com mais casos são a Lombardia (8.129), Piemonte (4.471), Véneto (3.578) e Campânia (3.351).

    Apesar dos números elevados, os especialistas têm registado uma “desaceleração” da propagação do vírus.

  • PSP salienta "grande acatamento" das novas regras. Movimento na rua é “praticamente inexistente"

    O balanço da PSP sobre o cumprimento das novas restrições tem sido, na generalidade, positivo. À Rádio Observador, o porta-voz da PSP, Nuno Carocha, disse que “tem havido um grande acatamento por parte da generalidade da população em relação às regras”. Nas operações e abordagens feitas na rua, “verificamos um muito elevado grau de cumprimento”, adiantou ainda.

    As notícias das 17h

    O responsável sublinhou também que o movimento na rua é “praticamente inexistente” e salientou “a grande consciência e o grande sentido cívico que toda a população tem estado a manifestar”.

    Sobre as manifestações, de hoje e de ontem, em Lisboa e no Porto, e tal como já tinha explicado ao Observador, Nuno Carocha aponta que “o estado de emergência não mexeu com o direito de reunião e de manifestação”. Por isso, as manifestações têm “legitimidade” e “decorreram, na generalidade, pacificamente”. O episódio de ontem no Porto, de desacatos entre alguns manifestantes e forças de segurança, foi “pontual”, considera.

    Sim, os manifestantes podem continuar na rua mesmo com o recolher obrigatório. As fotos dos protestos

  • Em confinamento, Reino Unido regista mais 26.860 casos de infeção e 462 mortes

    O Reino Unido registou mais 26.860 novos casos de infeção e mais 462 mortes com Covid-19, segundo o mais recente balanço oficial. Ao todo, desde o início da pandemia, já foram contabilizado 1.344.356 infetados e 51.766 óbitos.

    No final de outubro, o Reino Unido anunciou um novo confinamento, que duraria quatro semanas, até 2 de dezembro. Todas as lojas de bens e serviços considerados não essenciais fecharam portas, enquanto que os restaurantes e os bares só podem funcionar com entregas em take away.

    Reino Unido anuncia novo confinamento por quatro semanas

    Já as escolas e as universidades continuam abertas e o teletrabalho é recomendado. A 2 de dezembro, o governo vai reavaliar a situação e decidir se renova, ou não, as restrições.

  • Dia cinzento ajudou a cumprir recolher obrigatório na Linha de Cascais. Polícia não impediu acesso às praias ou paredões

    Uma tarde tranquila e cinzenta com menos pessoas e carros do que o costume nas praias da Linha de Cascais. Ao contrário do que aconteceu em outros fins de semana de restrições em abril e maio, as forças da segurança não impediram o acesso de pessoas às praias ou paredões. Também o tráfego automóvel circulou na Avenida Marginal sem restrições visíveis.

    O dia foi de chuva sem chuva, mas sem sol, o que também ajuda a explicar o número reduzido de pessoas a passear, sozinhas, em casal ou família restrita. Não se viam grupos. Nem todos estariam apenas a fazer um passeio higiénico na própria rua. Ainda assim, as forças de segurança controlaram, mas não limitaram a circulação em Carcavelos ou no Estoril.

    Na ronda feita pelo Observador, só na praia da Parede dois agentes da PSP travaram o acesso de pessoas ao lado mar da marginal, mesmo que vivessem ali. Uma das pessoas que foi mandada para trás tinha um copo de vinho. O consumo de álcool na via pública é uma das restrições em vigor, mesmo sem recolher obrigatório.

    Vista da Praia do Tamariz, Estoril, no primeiro sábado com recolher obrigatório.

    No paredão de Oeiras era possível correr e até andar de bicicleta

    Vista do Tamariz (Estoril) este sábado à tarde

  • Grécia fecha creches e escolas primárias até ao final de novembro

    A Grécia vai encerrar as creches e as escolas primárias até ao final de novembro, avançaram as autoridades do país, citadas pela Reuters.

    O número de infeções na Grécia tem aumentado gradualmente desde o início de outubro, o que levou as autoridades a impor novas medidas restritivas, como um novo confinamento (que termina no final deste mês) e o recolher obrigatório das 21h00 às 5h00.

    O governo aperta agora as regras — o encerramento das escolas primárias e das creches entra em vigor na segunda-feira. Nas escolas secundárias e nas universidades as aulas já acontecem à distância.

    Este sábado, a Grécia registou mais 2.835 casos de infeção e 38 óbitos por Covid-19. Na quinta-feira, o país tinha atingido um máximo de infeções — 3.316 — e de mortes — 50.

1 de 3