Momentos-chave
Histórico de atualizações
  • A cobertura em contínuo do Observador sobre a pandemia de Covid-19 continua em liveblog esta quinta-feira. Obrigada por ter estado connosco.

    Coreia do Sul com novo máximo diário de casos

  • Boris Johnson pede desculpa por ter visitado hospital sem máscara

    Boris Johnson pediu hoje desculpa por ter visitado, no início de novembro, um centro de diagnóstico do serviço nacional de saúde, não tendo utilizar máscara.

    “Eu saí do quarto e erradamente não a coloquei [a máscara]. Pu-la assim que percebi que tinha feito um erro. Peço desculpa por isso”, referiu o primeiro-ministro britânico, de acordo com o The Independent.

    Boris Johnson ‘fugiu’ de um debate e foi visitar hospital sem máscara

    Além disso, Boris Johnson indicou que aquele foi um momento isolado, insistindo que “a maior parte das fotografias” da visita do hospital mostrá-lo-iam a utilizar uma máscara.

  • Testes antes das visitas, máscaras e distanciamento, e acelerar (muito) a vacinação. A receita para um Natal tranquilo

    A situação em Portugal não obriga a um confinamento, nem sequer parcial. Mas para não chegarmos lá temos de voltar aos velhos hábitos: máscaras, distanciamento, muitos testes e acelerar a vacinação.

    Testes antes das visitas, máscaras e distanciamento, e acelerar (muito) a vacinação. A receita para um Natal tranquilo

  • Espanha regista 6.667 casos diários, o número mais elevado desde setembro

    Espanha registou 6.667 casos de Covid-19 nas últimas 24 horas, o número mais elevado desde 3 de setembro, e a pressão nas unidades de cuidados intensivos atingiu na quarta-feira os 4,9%, perto do limite de risco.

    Segundo os dados mais recentes divulgados pelo Ministério da Saúde espanhol, a pressão nas unidades de cuidados intensivos (UCI) subiu três décimas desde terça-feira, cujos dados não contemplavam a atualização de Navarra e a comunidade valenciana.

    O número de internados em hospitais subiu uma décima, sendo agora de 1,8%, ainda abaixo do limite de risco de 2%. Nas UCI, o limite de risco é de 5%.

  • Regras confusas, ruas cheias e o regresso dos confinamentos. As novas restrições na Europa vistas por cinco portugueses

    Os Países Baixos foram dos primeiros a tomar medidas restritivas, na Áustria são para os não vacinados e na Alemanha mudam com frequência. Na Grécia há muitos protestos, mas na Noruega nem se nota.

    Regras confusas, ruas cheias e o regresso dos confinamentos. As novas restrições na Europa vistas por cinco portugueses

  • Covid-19. "Com as crianças vacinadas, o indíce de transmissibilidade fica abaixo de 1 em duas ou três semanas", prevê especialista

    Para o infeciologista Jaime Nina, a pandemia em Portugal só fica controlada quando todas as crianças estiverem imunizadas contra a Covid-19.

    “Era bom que Portugal estivesse a preparar-se já para que, quando houver luz verde para a vacinação de crianças, que houvesse uma vacinação em massa dos cerca de 1,5 milhões de crianças ainda por vacinar”, diz, em declarações à Rádio Observador, o especialista do Instituto de Higiene e Medicina Tropical.

    Jaime Nina lamenta ainda que haja “uma pequena percentagem da população” que recusa ser vacinada e defende restrições para quem não apresenta o certificado digital de vacinação.

    “Por exemplo, se não apresentar certificado não pode entrar num restaurante ou num cinema. Se isto estivesse a ser feito, por certo que estaríamos a baixar a transmissão do vírus”, defende Jaime Nina, que espera que saiam medidas “concretas” da reunião do Infarmed.

    Covid-19. “Com as crianças vacinadas, o indíce de transmissibilidade fica abaixo de 1 em duas ou três semanas”, prevê especialista

  • Reclamações à ERS visaram sobretudo acesso a cuidados e funcionamento dos estabelecimentos

    As reclamações apreciadas pela Entidade Reguladora da Saúde no 1ºsemestre do ano relacionadas com a Covid-19 visaram sobretudo o acesso à prestação de cuidados de saúde, incluindo a continuidade dos cuidados comprometida pela resposta à pandemia.

    Segundo o relatório da Entidade Reguladora da Saúde (ERS) hoje divulgado, o número de processos diretamente relacionados com a situação de pandemia continuou a crescer no 1ºsemestre e nas reclamações que se referiam ao acesso à prestação de cuidados (21%) eram mencionados designadamente a recusa, demora ou desmarcação de consultas, exames ou cirurgias.

    Entre os assuntos da reclamação no âmbito do acesso à prestação de cuidados estavam igualmente o plano de vacinação contra a Covid-19, a continuidade de cuidados comprometida pela situação de contingência, os entraves à obtenção do número de utente (imigrante) e falhas na referenciação da linha Saúde 24.

  • Madeira regista 67 novos casos e um total de 436 infeções ativas

    A Madeira registou hoje 67 novos casos de Covid-19 e 38 recuperações, indicou a Direção Regional da Saúde, referindo que o total de infeções ativas no arquipélago é de 436, com 37 doentes hospitalizados, sete deles em cuidados intensivos.

    Entre os novos positivos, quatro foram importados (um da Polónia, um do Reino Unido, um da Alemanha e um de Itália) e 63 são de transmissão local.

    A região autónoma passa a contabilizar 12.871 casos confirmados de infeção por SARS-CoV-2 desde o início da pandemia, já com 12.352 recuperados e 83 óbitos associados à doença.

    Os dados da autoridade regional diferem dos apresentados hoje pela Direção-Geral da Saúde (DGS), que atribui à Madeira 43 novos casos, num total de 13.489 reportados desde março de 2020 e 79 mortos.

  • Suécia exige pela primeira vez certificado de vacinação em alguns eventos

    A Suécia vai exigir a partir de 1 de dezembro, pela primeira vez, certificado de vacina contra a Covid-19 em eventos em espaços fechados com mais de 100 pessoas, devido ao aumento das infeções, anunciou hoje o Governo.

    O país nórdico, que tinha decidido a partir de 1 de novembro deixar de testar as pessoas totalmente vacinadas contra a Covid-19, mesmo em caso de sintomas, decidiu também reverter esta decisão.

    Apesar de a Suécia ter atualmente poucos casos, ao contrário de muitos países europeus, o país “não está isolado do resto do mundo”, disse a ministra da Saúde, Lena Hallengren, em conferência de imprensa.

    A apresentação de um certificado de vacinação, que tinha sido recomendada pela autoridade de saúde pública sueca, exclui os mais novos, tendo o Governo ainda que decidir entre o limiar dos 16 anos ou dos 18 anos de idade.

  • Madeira com taxa de vacinação superior a 98% nos residentes com mais 50 anos

    A taxa de cobertura da vacina contra a Covid-19 na população residente na Madeira com mais de 50 anos é superior a 98%, tendo sido efetuadas mais de 407 mil inoculações esta região, foi hoje anunciado.

    No boletim da vacinação distribuído pelo gabinete do Secretário Regional da Saúde e Proteção Civil do arquipélago é referido que, “até ao dia 14 de novembro, foram administradas na Região Autónoma da Madeira, 407.207 vacinas contra a Covid-19, desde dia 31 de dezembro de 2020”.

    A informação realça que, dessas 407.207 vacinas, 209.892 são primeiras doses e 207.226 a segunda inoculação.

    O total de doses de reforço (terceira dose) atinge as 15.821 vacinas, complementa.

  • Lacerda Sales avança que 560 mil pessoas já receberam uma dose de reforço da vacina contra a Covid-19

    Lacerda Sales indicou hoje que 560 mil pessoas já receberam uma dose de reforço contra a Covid-19 e que 1,3 milhões de pessoas já tomaram a vacina da gripe.

    Em declarações à RTP3, Lacerda Sales diz que a “campanha de vacinação está a ser um sucesso” e que o país está a desenvolver um “esforço de linha dupla vacinal”.

    “Garantidamente atingiremos as nossas metas”, reforça o secretário de Estado.

  • Lacerda Sales antecipa "reforço acentuado" das medidas contra a pandemia

    António Lacerda Sales admite um “reforço acentuado” nas medidas contra a pandemia, após o aumento de casos contra a Covid-19 registado nos últimos dias.

    O secretário de Estado adjunto e da Saúde adiantou algumas medidas como o teletrabalho parcial, o uso de máscara em espaços fechados e em abertos com “grandes aglomerações”, a manutenção do distanciamento físico e “eventualmente uma testagem mais acentuada”.

    Antes de tomar quaisquer medidas, Lacerda Sales salienta que primeiro o Governo ouvirá os peritos do Infarmed.

  • Marcelo reformula: Uso da máscara só com o aval do Governo e dos peritos

    Depois de ontem Marcelo ter defendido a reposição do uso de máscara na rua, o Presidente da República indicou que essa medida só entrará em vigor “com a indicação do Governo” e depois das recomendações dos peritos do Infarmed.

    Marcelo Rebelo de Sousa defende reposição do uso de máscara na rua: “Isso é evidente”

    “Eu não me substituo ao Governo”, garante Marcelo. “Temos de esperar por aquilo que o Governo entende adotar como sendo certo.”

  • Estado de emergência não está "em cima da mesa", diz Marcelo

    Marcelo Rebelo de Sousa descartou hoje um novo estado de emergência. Apesar de notar ser “possível constitucionalmente mesmo com a Assembleia dissolvida”, o Presidente da República garante que o país está “muito longe das fasquias” que considerava graves no término do segundo estado de emergência, nomeadamente no que diz respeito ao número de internados.

  • 91% da faixa etária dos 18 aos 24 com a vacinação completa

    Na distribuição por grupos etários, o relatório de vacinação mostra que as percentagens se mantiveram praticamente inalteradas face à semana passada.

    A exceção foi a faixa etária dos 18 aos 24 anos com 91% da faixa etária com a vacinação completa (mais um ponto percentual que a semana passada).

  • Norte é a primeira região a chegar aos 90% de população com uma dose da vacina

    A região Norte é a mais avançada na campanha de vacinação, tendo sido a primeira a chegar aos 90% de população com uma dose da vacina, ao passo que 88% já completou o esquema vacinal.

    Segue-se o Aletenjo, que tem 89% das pessoas com uma dose e 88% com o esquema completo, e a região Centro (88% tem uma toma e 87% completou a vacinação).

    Em sentido inverso, está o Algarve, registando-se 83% das pessoas com uma dose e 81% com a vacinação completa.

    Tal como na semana passada, Lisboa e Vale do Tejo foi a região que mais inoculou, tendo administrado 11.540 vacinas. Contudo, ainda continua atrás da média nacional, estando com 84% da população com o esquema completo.

  • Quase 15 mil pessoas vacinaram-se na semana passada

    Um total de 87% da população portuguesa (9.053.901) já recebeu pelo menos uma dose da vacina contra a Covid-19, revela o relatório de vacinação publicado hoje pela Direção-Geral da Saúde (DGS).

    Já 8.925.907 pessoas, correspondente a 86% da população, já completou o esquema vacinal.

    Na globalidade, 14.537 pessoas vacinaram-se na semana passada.

  • Casos dispararam sem sobrelotar hospitais de Bragança

    O número de casos de infeção tem disparado no distrito de Bragança ainda sem impacto na lotação disponível para doentes Covid-19 nos hospitais da região, segundo informação divulgada hoje pela Unidade Local de Saúde (ULS) do Nordeste.

    Esta entidade é a responsável pelos cuidados de saúde nos 12 concelhos do distrito de Bragança, onde o número de pessoas infetadas com o novo coronavírus se aproxima de 400 e um total de nove estavam internadas, hoje, nos três hospitais da região, sete das quais em enfermaria e duas em cuidados intensivos.

    Os dados foram avançados à Lusa pela ULS do Nordeste com a indicação de que o número de camas afetas a internamento de doentes Covid-19 é de 11, “sendo possível o alargamento para 24 camas em enfermaria” nos três hospitais que servem a população da região, concretamente Bragança, Mirandela de Macedo de Cavaleiros.

  • Secretário de Estado da Saúde defende uso de máscara em qualquer circunstância

    O governante disse que “todas as medidas poderão estar em cima da mesa” na reunião de peritos na sexta-feira no Infarmed, dependendo do evoluir da situação pandémica.”

    Secretário de Estado da Saúde defende uso de máscara em qualquer circunstância

  • Áustria, República Checa e Hungria com novos máximos de casos

    Áustria, República Checa e Hungria divulgaram hoje novos máximos de casos de infeções pelo novo coronavírus, numa altura em que a Europa é o continente com o maior aumento de mortes associadas à doença Covid-19.

    A Áustria contabilizou 14.416 novas infeções nas últimas 24 horas, a República Checa 22.479 e a Hungria 10.265, segundo dados oficiais citados pelas agências de notícias internacionais.

    Também a Alemanha anunciou hoje um novo máximo diário de 52.826 casos nas últimas 24 horas, número que era inferior a 40.000 casos há uma semana.

    Na Áustria, um país com 8,9 milhões de habitantes, as autoridades deram conta de um aumento exponencial do número de casos sem precedentes.

1 de 3