Momentos-chave
Histórico de atualizações
  • Vamos encerrar por aqui este liveblog, que acompanhou a atualidade relacionada com a pandemia de Covid-19 ao longo desta quinta-feira. Continue a seguir-nos nesta nova ligação.

    Covid-19. Infeção tem característica sazonal com duas ondas anuais

  • Atualização da norma da DGS sobre a vacinação já foi publicada

    A atualização da norma da Direção-Geral da Saúde (DGS) da vacinação contra a Covid-19 foi hoje publicada. Pormenores sobre a dose de reforço da Janssen e do intervalo entre doses estão no documento.

    Segunda dose para vacinados com Janssen, terceira para idosos recuperados. 15 respostas sobre as novas regras da dose de reforço

    Aceda aqui à norma na íntegra.

  • Trabalhadores portugueses do setor da construção civil em Gibraltar contagiados

    Vinte e três trabalhadores do setor da construção civil, portugueses na sua maioria, estão infetados com Covid-19 em Gibraltar, disse hoje à Lusa fonte da empresa portuguesa Casais.

    Segundo Orlando Teixeira, diretor do Departamento de Segurança da Casais-Gibraltar, “existem 23 colaboradores – na maioria de subempreiteiros da Casais – que testaram positivo à Covid-19, que se apresentam assintomáticos e dos quais cinco já estão a ter alta”.

    “São na maioria portugueses e alguns de nacionalidade espanhola. As medidas de restrição em Gibraltar já foram levantadas há algum tempo, não sendo obrigatório o uso de máscara em locais fechados para pessoas vacinadas”, acrescentou Orlando Teixeira.

  • Projeto de vacina portuguesa parado desde julho à espera de fundos

    A Immunethep falou com o Governo sobre a hipótese de compra adiantada de doses, mas foi encaminhada para os programas de apoio, o que parou o processo “na melhor das hipóteses” até ao início de 2022.

    Projeto de vacina portuguesa parado desde julho à espera de fundos

  • Incidência em Espanha supera os 100 casos pela primeira vez desde setembro

    A incidência acumulada de contágios de Covid-19 em Espanha subiu para 104,3 casos por cada 100.000 habitantes diagnosticados nos últimos 14 dias, um valor que não se verificava desde setembro, segundo os dados divulgados hoje.

    Este aumento é acompanhado pela subida para 5% da ocupação média de camas nas unidades de cuidados intensivos, uma percentagem a partir da qual as autoridades sanitárias consideram que corresponde a um primeiro patamar de risco.

    Por outro lado, a Espanha registou 6.315 novos casos de infeção pelo coronavírus SARS-CoV-2 nas últimas 24 horas, tendo o Ministério da Saúde também notificado mais 29 mortes atribuídas à doença Covid-19 durante o mesmo período.

  • Face a situação "dramática", Alemanha impõe restrições apertadas a não-vacinados

    A Alemanha vai impor novas restrições para não-vacinados, que deixarão de poder aceder a espaços públicos. “Situação é muito dramática”, diz Merkel. Epidemiologista prevê “Natal sombrio” no país.

    Face a situação “dramática”, Alemanha impõe restrições apertadas a não-vacinados

  • Vacina passa a ser obrigatória de forma indireta? "Sim" diz Miguel Albuquerque

    Miguel Albuquerque explica as novas medidas restritivas para o arquipélago da Madeira e critica quem ainda não se vacinou “Estão a por em risco a comunidade e o sistema de saúde”.

    Entrevistado pela Radio Observador, o presidente do Governo Regional da Madeira considera que as novas medidas podem levar a que mais pessoas aceitem receber a vacina.

    Miguel Albuquerque tinha anunciado hoje a obrigatoriedade de apresentação de comprovativo de testagem ou de vacinação para acesso a qualquer evento desportivo ou cultural, restaurantes, desporto, hotéis, cabeleireiros, bares, discotecas, cinemas e atividades noturnas. Questionado se esta medida acaba por tornar a vacinação obrigatória de forma indireta, Miguel Albuquerque diz: “Sim.”

    O presidente do governo regional da Madeira pede também que se acelere a aprovação da vacinação de crianças entre os 12 e os 18 anos. “Gostava imenso de vacinar as crianças com mais de 12 anos”

    À Radio Observador Miguel Albuquerque reforça que as novas medidas servem para evitar um novo confinamento e um novo travão na recuperação económica.

    Vacina passa a ser obrigatória de forma indireta? “Sim” diz Miguel Albuquerque

  • Madeira com mais 52 casos e 43 infetados hospitalizados

    As autoridades de saúde sinalizaram mais 52 casos de Covid-19 nas últimas 24 horas na Madeira, no dia em que a região registou mais uma morte e tem 43 pessoas hospitalizadas e 542 situações ativas, informou o Governo Regional.

    No boletim epidemiológico hoje divulgado pela Direção Regional da Saúde (DRS) da Madeira é indicado que o arquipélago passou a contabilizar um total de 12.923 casos SARS-CoV-2 desde o início da pandemia.

  • Novo centro de vacinação de Barcelos abre na segunda-feira

    O novo centro de vacinação contra a Covid-19 em Barcelos abre na segunda-feira, no edifício Rainha Santa Isabel, no centro da cidade, anunciou hoje o município.

    Em comunicado, o município acrescenta que o novo centro, localizado entre as Piscinas Municipais e a Casa do Rio, vai funcionar das 08h30 às 19h00, está dotado de 12 gabinetes e pode administrar até 1.200 vacinas por dia. Terá um médico, 20 enfermeiros e três secretários clínicos.

  • Seis infetados no Centro de Saúde da Lourinhã

    Seis profissionais do Centro de Saúde da Lourinhã estão infetados pela Covid-19 e outros 10 estão em isolamento por serem contactos próximos, mas a unidade mantém-se a funcionar, confirmou hoje a ARSLVT.

    Segundo a Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo (ARSLVT), há seis profissionais infetados, 10 em isolamento e 71 já foram testados. Os primeiros casos foram identificados entre quarta e sexta-feira da semana passada.

    A mesma fonte adiantou que o centro de saúde, onde funcionam duas Unidades de Saúde Familiares, “está a funcionar normalmente”.

  • Novo tratamento da AstraZeneca com 83% de redução de doença sintomática

    O risco de desenvolver Covid sintomática seis meses depois baixou para os doentes que tomaram o medicamento AZD7442, em comparação com os que receberam tratamento com placebo.

    Novo tratamento da AstraZeneca com 83% de redução de doença sintomática

  • Estudos internacionais sustentam que decaimento da proteção começa mais cedo em quem levou Janssen

    Como os estudos internacionais já indicam que o decaimento da proteção induzida pela vacina começa mais precocemente em quem tomou a vacina da Janssen, a Direção-Geral da Saúde decidiu chamar todos os inoculados com essa marca para a dose de reforço, independentemente da idade.

    O Instituto Nacional de Saúde Dr. Ricardo Jorge (INSA) está a analisar a situação portuguesa em particular mas, tal como o Observador avançou, há indícios de que o mesmo está a acontecer no país.

  • Dose de reforço não significa que as vacinas são menos protetoras do que se pensava

    A diretora-geral da saúde recorda que a necessidade de distribuir doses de reforço contra a Covid-19 não devem alimentar desconfianças sobre a eficácia das vacinas e o sucesso do processo. “Sempre dissemos que não sabíamos quanto tempo durava a proteção”, ressalvou Graça Freitas. Ela mantém-se, prossegue, mas precisa de ser reforçada: “Toda a gente aqui recebe doses de reforço do tétano. Aqui a lógica é a mesma”.

  • Ainda não há data para o reforço dos vacinados com a Janssen — só depois da publicação da norma

    A Direção-Geral da Saúde (DGS) ainda não sabe quando é que as autoridades de saúde vão começar a chamar quem recebeu a vacina da Janssen para tomar uma segunda dose: a data será anunciada após a publicação da norma.

    A prioridade na distribuição das doses de reforço continuam a ser as faixas etárias a partir dos 65 anos, os profissionais de saúde e os profissionais que prestam apoio ao público — como os bombeiros. O regime de Casa Aberta a partir dos 65 anos vai iniciar na próxima semana, mas Graça Freitas aconselha o auto-agendamento para evitar filas nos centros de vacinação.

    De resto, é entre os mais idosos que se tem verificado a esmagadora maioria dos óbitos. Graça Freitas justifica que, embora a maior parte estivesse completamente vacinada, todas tinham “uma elevada carga de doença”, isto é, sofriam de muitas comorbilidades associadas ao desenvolvimento de um quadro clínico extremamente severo de Covid-19.

  • Mesmo quem apanhou a vacina da Janssen e teve Covid-19 vai levar nova dose

    Graça Freitas esclarece todas as pessoas a partir dos 18 anos que levaram a vacina da Janssen, mesmo que já tenha recuperado da Covid-19, vão tomar uma dose de reforço. A única exceção é para quem já tomou uma segunda dose para poder viajar.

    A diretora-geral da saúde recusa que o alargamento das medidas relativas à dose de reforço vá condicionar o atingimento dos objetivos traçados para a administração da terceira dose aos idosos. Há doses suficientes para todos e a tecnologia para a distribuição está implementada, argumenta.

  • Alterações anunciadas pela DGS serão publicadas hoje em nova norma

    Todas as alterações serão publicadas ainda esta quinta-feira numa nova norma da Direção-Geral da Saúde (DGS).

  • Quem levou vacina da Janssen vai tomar dose de reforço de vacina de mRNA

    Graça Freitas anuncia três novidades sobre a dose de reforço:

    • Na população atualmente elegível, o intervalo entre a última dose e a entrada na elegibilidade foi encurtado, de um mínimo de seis meses para cinco meses.
    • Dentro deste mesmo grupo, os recuperados também vão ser vacinados com uma dose de reforço. A única exceção são os que já levaram as duas doses da Covid-19 com 150 a 180 dias de intervalo.
    • Tal como o Observador avançou, quem recebeu a vacina da Janssen contra a Covid-19 deve levar um reforço 90 dias depois de terem sido inoculadas, independentemente da idade. A dose de reforço será feita com a vacina da Moderna ou Pfizer (tecnologia mNA).

  • "A melhor forma de nos protegermos é vacinar, vacinar, vacinar", apela Graça Freitas

    Graça Freitas aponta que, mesmo em Portugal, com 86,5% da população vacinada, se assiste a um aumento do número de casos, tal como tem acontecido no resto da Europa. “A melhor forma de nos protegermos é vacinar, vacinar, vacinar”, insiste a diretora-geral da saúde.

  • Começa a conferência de imprensa conjunta da DGS e Infarmed

    Está a começar a conferência de imprensa da Direção-Geral da Saúde (DGS) e do Infarmed sobre a vacinação contra a Covid-19 e contra a gripe. Estão presentes Graça Freitas, diretora-geral da saúde, e António Faria Vaz, vice-presidente do Infarmed.

  • Faixas de jovens que apanharam Janssen são maior foco de infeção. Peritos dizem que podem ser os próximos a levar dose de reforço

    Fosso de infeções entre homens e mulheres na casa dos 20 anos indicia aos especialistas que quem levou Janssen é o motor das infeções. Plano para a dose de reforço deve contemplá-los após idosos.

    Faixas de jovens que apanharam Janssen são maior foco de infeção. Peritos dizem que podem ser os próximos a levar dose de reforço

1 de 3