Privatização da TAP

Bruxelas pressiona para evitar controlo de Neeleman na TAP

A Direção-Geral Europeia dos Transportes tem pressionado o regulador português para evitar que David Neeleman controle a companhia aérea, conta o Diário Económico.

TIAGO PETINGA/LUSA

Bruxelas não quer que David Neeleman, empresário da Atlantic Gateway, controle, seja de que maneira for, a TAP. A Direção-Geral Europeia dos Transportes (DG Move) estará a pressionar a Autoridade Nacional de Aviação Civil para que não aceite que cidadãos não-europeus controlem a companhia aérea.

De acordo com o Diário Económico (pode ler aqui ou na edição impressa), terão sido as dúvidas da DG Move que levou a que a ANAC decidisse na sexta-feira pelo chumbo à privatização da companhia decidida pelo anterior Governo, ou seja, da venda de 60% do capital à empresa de David Neeleman e Humberto Pedrosa e por impor à companhia três meses de gestão corrente, sem que fosse possível aos administradores tomar qualquer decisão estratégica. Em cima da mesa estavam dúvidas exatamente sobre quem controlava a companhia e a ANAC dizia ter fundadas dúvidas de que não eram cidadãos europeus, ou seja, Neeleman, e isso viola as regras europeias. Sabe-se agora que esta decisão terá tido dedo das autoridades europeias.

Em dúvida para Bruxelas não estará apenas quem tem mais capital, mas estará sim a fazer uma análise com foco os “acordos comerciais e das relações financeiras” e isso passa por exemplo, pela avaliação do empréstimo obrigacionista de 120 milhões de euros que a TAP iria realizar e que poderia terminar com um controlo maior de David Neeleman com a subscrição da Azul, empresa do empresário, de parte dessas obrigações.

A DG Move diz estar a acompanhar o processo que passa agora para uma outra fase. Depois das dúvidas levantadas pela ANAC na sexta-feira, o Governo de António Costa admitiu avaliar o negócio com a Atlantic Gateway de conseguir para o Estado 50% da companhia e voto de qualidade na administração. Sobre este último negócio, nem a ANAC nem a DG Move deram ainda a sua avaliação.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
IPSS

Raríssimas: o Estado é parte do problema

Rui Ramos

Mais do que por uma “vida de luxo”, a direcção da Raríssimas foi atraída por uma “vida de Estado”. Libertar a sociedade deste Estado gordo e promíscuo seria um meio de a libertar das piores tentações.

Brexit

Quem disse que sair da Europa era fácil?

Diana Soller

Esperemos que o executivo britânico se reorganize depressa. Ainda que o divórcio tenha tido até agora pouco de litigioso, uma das partes põe paus na engrenagem. E nas separações todo o cuidado é pouco

Crianças

Há Natais e Natais...

Rute Agulhas

Pais, mães, avós e restante família alargada. Deixemos as crianças viver a magia do Natal. Acreditar, mesmo que seja a fingir, no Pai Natal e nas renas, e na fábrica de brinquedos, e nos duendes.

Só mais um passo

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

E tenha acesso a

  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site