Porto

Porto recebe em abril evento mundial de solidariedade que reúne 75 países

1.126

O "Dia das Boas Ações", evento mundial de solidariedade que reúne 75 países, chega pela primeira vez a Portugal sendo o Porto a cidade escolhida para o evento agendado para 2 de abril.

JOSÉ COELHO/LUSA

Autor
  • Agência Lusa

O “Dia das Boas Ações”, iniciativa anual de solidariedade internacional que decorre em simultâneo em 75 países, chega pela primeira vez a Portugal sendo o Porto a cidade escolhida para o evento agendado para 2 de abril.

É um evento que apela às boas ações e ao voluntariado para que as pessoas sintam como é bom ajudar o próximo e criar uma sensação de conforto pelo impacto positivo que se provoca nos outros”, acrescentou à Lusa uma das responsáveis pela organização do evento em Portugal, Ana Baldaia.

Num comunicado enviado à agência Lusa, a organização revelou que a iniciativa, que já vai na 10.ª edição, “é um movimento global que teve início em 2007, em Israel, e foi criado pela empresária e filantropa Shari Arison”.

Segundo Ana Baldaia, a chegada a Portugal decorre do facto de a empresária israelita ter em 2016 “adquirido uma participação numa empresa portuguesa, manifestando depois o desejo de incluir o país no roteiro do evento”.

De acordo com a organização, a nível mundial “estima-se que se associem 1,5 milhões de voluntários e cerca de 1.500 projetos“.

Para uma ação que, no Porto, irá ser distribuída entre os dias 31 de março e 2 de abril, a organização conta angariar “no Grande Porto entre mil e 1.500 voluntários”.

Nos primeiros dois dias iremos estar, aproveitando que é fim de semana, em associações e organizações não-governamentais a sensibilizar para a causa da solidariedade e voluntariado”, explicou Ana Baldaia.

O Dia das Boas Ações “vai decorrer na Praça dos Poveiros, no Porto, e conta com o apoio da câmara municipal e a participação de várias Organizações Não Governamentais (ONG), que pretendem promover a sua missão e recrutar voluntários”, lê-se ainda na nota informativa.

Nessa data será ainda possível “presenciar diversas atividades como workshops para crianças e adultos, aulas de ioga, fazer recolha de alimentos e de outros bens, bem como assistir a animação musical”, acrescentou Ana Baldaia.

No âmbito de um concurso de arte de rua, em que os participantes são convidados a pintar murais, a organização vai presentear o “vencedor com um cheque-ensino de 1.000 euros, que depois poderá utilizar em qualquer instituição em que queira receber formação”, revelou a responsável.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Catalunha

Em defesa da honra de Espanha

Iñaki Carrera Y Araujo

O movimento independentista catalão não é democrático e isso ficou bem demonstrado neste referendo que foi aprovado por uma lei que viola a Constituição e o próprio Estatuto de Autonomia da Catalunha.

Só mais um passo

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

E tenha acesso a

  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site