Logo Observador
Cosméticos

Para o dia e para a noite. 12 produtos anti-rugas para rotinas simples

Já não precisa de ter um creme de dia e um de noite diferentes. Multifacetados e com ação anti-idade, estes produtos vão simplificar a vida de quem não tem paciência para ter um nécessaire cheio.

Autor
  • Helena Magalhães

As rugas não dormem. Não tiram férias. Nem fazem uma pausa a meio do mês. Continuam ali a trabalhar — tic tac, tic tac — e nós a correr contra o tempo, contra a gravidade e contra a idade. Isto para dizer que sempre que se desleixa porque está cansada, porque vai de férias e não quer ir carregada de produtos ou porque o seu creme acabou e agora não dá muito jeito comprar outro, a pele vai continuar a envelhecer e a envelhecer…

Na prática, e se só puder comprar um único produto, diríamos para comprar o de dia. Porque é preferível proteger a pele dos danos que vai sofrer ao longo das horas e, à noite, deixar a renovação celular fazer a sua magia — com ou sem creme. E esta é mesmo a realidade: as mulheres dão mais prioridade ao creme de dia do que ao de noite. Razão para as marcas de cosmética estarem cada vez mais a apostar em produtos duplos, multifuncionais e adaptados aos dois momentos.

E se só precisasse de um produto para várias necessidades da pele?

Precisamos mesmo de usar um creme de dia e outro à noite?

Por mais preguiçosa que seja, a resposta é sim. A principal diferença está no tipo de ingredientes e na forma como os cremes atuam. Os de dia têm, normalmente, filtros solares para proteger a pele dos raios UV, são concebidos para serem usados sob a maquilhagem e, por isso, têm uma textura mais leve, hidratam, protegem da poluição, têm antioxidantes para lutar contra os radicais livres que estão à nossa volta e a sua função é, acima de tudo, a prevenção.

Já os de noite estão preparados para fazer o trabalho pesado — reverter tudo o que de mal aconteceu à pele durante o dia. São produtos mais ricos e com ingredientes anti-envelhecimento potentes como retinol ou ácido glicólico (que não podem ser usados durante o dia porque deixam a pele sensível ao sol). A sua ação vai focar-se em recuperar a humidade que a pele perdeu durante o dia e como são feitos para penetrar ao longo das horas em que está a dormir, são de textura mais gorda e absorção lenta.

Há riscos se os trocarmos?

Não necessariamente. O pior que pode acontecer, se, por exemplo, usar um creme de noite durante o dia, é a sua pele ficar gordurosa, a maquilhagem não penetrar bem e — a coisa mais negativa — não ficar protegida dos raios solares. Mas se isto se perpetuar durante semanas ou meses vai estar, sim, a fazer mais mal do que bem.

Se vai de férias e não lhe apetece levar muitos produtos, se é uma mulher prática e não tem paciência para rotinas muito complicadas ou se simplesmente não quer ou não pode comprar mais do que um creme, veja, na fotogaleria, 12 produtos anti-idade multifacetados e que vão simplificar a vida até das mais preguiçosas ao poderem ser usados de manhã e à noite (nota: nunca se esqueça de aplicar o protetor solar porque a maioria destes cremes, ao ser multifacetado, não tem FPS).

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt